Press Release

09/10/2013: EUA: PRESIDENTE DA CMC ENALTECE PARTICIPAÇÃO DE ANGOLA NAS REUNIÕES DO BM/FMI

EUA: PRESIDENTE DA CMC ENALTECE PARTICIPAÃÃO DE ANGOLA NAS REUNIÃES DO BM/FMI

Washington D.C. - (Do enviado especial) – O presidente da Comissão de Mercados Capitais (CMC), sublinhou em Washington D.C., (Estados Unidos da América) a importância da participação de Angola nas reuniões de Outono das instituições de Bretton Woods - Banco Mundial (BM) e Fundo Monetário Internacional (FMI) com
uma delegação de alto nível, dada a magnitude do evento e o seu reflexo para as economias dos países membros.

Referindo-se a Angola em particular, em entrevista exclusiva à Angop numa antevisão do que será a participação do país (este ano) no certame, disse: “tem um significado importante, numa fase em que Angola tem desenvolvido um forte relacionamento com as instituições de Bretton Woods, com vista a consolidar a estabilidade macro-económica”.

“Nós somos membros do FMI e do Banco Mundial. Um aspecto importante é desenvolvermos ou garantirmos a estabilidade macro-económica de acordo com os preceitos elementares definidos pelas instituições de Bretton
Woods” - frisou, o presidente da Comissão de Mercados Capitais, que vai participar pela primeira vez no evento.

Portanto, acrescentou, os objectivos de Angola neste fórum que decorrerá de 11 a 13 deste mês (em Washington D.C.), prendem-se mais com a partilha de conhecimentos com os executivos destas duas instituições (como já tem acontecido) no domínio das políticas monetária e fiscal, assim como em matérias de mercados de valores mobiliários, visando a estabilidade e o crescimento do país.

“E todas as contribuições que conseguirmos captar serão sempre benéficas e terão impacto no tratamento e execução das políticas,que por sua vez, têm reflexo nos resultados económicos que o país poderá obter
num curto e médio prazo” asseverou Archer Mangueira.

Além deste responsável, Angola faz-se representar nestas reuniões de Outono das instituições de  BrettonWoods - Banco Mundial (BM) e Fundo Monetário Internacional (FMI) com quadros séniores dos ministérios das
Finanças, do Planeamento e Desenvolvimento Territorial, dos bancos Nacional de Angola (BNA) e o de Desenvolvimento de Angola (BDA) assim como diplomatas Angolanos nos EUA.