News & Announcements

25/05/2013: Diplomacia angolana contribui para unificação dos estados - Embaixador da Argélia

Diplomacia angolana contribui para unificação dos estados - Embaixador da Argélia

Luanda – O embaixador da Argélia em Angola, Kamel Boughaba, considerou que a diplomacia angolana tem contribuído para a unificação dos estados a nível do continente africano, afirmando-se de igual modo no concerto das Nações.


Em declarações hoje à Angop, a propósito do 50º aniversário da União Africana (UA) e do contributo do país para o fortalecimento da organização continental, o diplomata argelino frisou que a República de Angola tem aplicado os princípios da Carta da UA, estabelecendo relações de amizade e cooperação com todos os Estados e povos.


Realçou que, no âmbito da UA, o país está granjeado de um grande prestígio político devido ao seu potencial que contribui para a sua afirmação como uma potência no continente, estando a sua representação diplomática bem entregue.


“Angola continua a exercer um papel de liderança e tem contribuído, imensamente, nos esforços que visam promover a paz, a segurança continental e para o fim dos conflitos armados vigentes em países do nosso continente”, sublinhou o embaixador.


Por outro lado, Kamel Boughaba, referiu que o país tem aplicado os princípios da paz, justiça e progresso, igualdade entre os Estados, bem como a solução pacífica de conflitos no continente africano.


A União Africana (UA) foi fundada em 2002 e é a organização que sucedeu a Organização da Unidade Africana (OUA), tendo como missão a ajuda na promoção da democracia, direitos humanos e desenvolvimento económico do continente, especialmente no aumento dos investimentos estrangeiros por meio do programa Nova Parceria para o Desenvolvimento de África.


Completam-se, no dia 25 de Maio, os 50 anos da proclamação desta organização continental, nascida com propósitos claramente políticos, inspirados nos ideais do pan-africanismo, que hoje procura a integração económica do continente, formado por um mosaico de 53 países, entre os quais Angola.


Ao longo destes 50 anos, África passou por graves testes que marcaram, por vezes de forma trágica, a história contemporânea do continente e vários outros conflitos, marcados por vagas de fome e desastres naturais, que fizeram-no por muito tempo de África um continente assolado pela tragédia e pelo sofrimento.