News & Announcements

31/03/2013: Embaixador na Suíça destaca ganhos com o mundial em Angola

Embaixador na Suíça destaca ganhos com o mundial em Angola
Montreux (Dos enviados especiais) - O embaixador de Angola na Suíça, Osvaldo Varela, afirmou à imprensa que a
realização do 41º campeonato do mundo em hóquei em patins em Setembro no país trará projecção desportiva, política, económica e social, porque além de albergar as 16 selecções, estarão presentes turistas para conhecer a realidade socioeconómica do país.
Falando após o jogo entre Angola/Portugal para as meias-finais do torneio da Páscoa, em Montreux (Suíça), o diplomata sustentou que informar aos presentes a realidade existente será extremamente positivo para a imagem que se quer transmitir sobre Angola no exterior.
Numa entrevista em que abordou o estado do desporto em geral, o antigo presidente da associação provincial de desporto motorizado de Luanda disse que quanto aos ganhos desportivos é preciso não colocar os objectivos
muito alto porque a seu ver ainda existem dois níveis no desporto sobre patins no mundo.
Acrescentou que Portugal, Espanha, Argentina e Itália estão a um patamar acima relativamente a Angola, de modo que se a selecção nacional alcançar às meias-finais já será uma grande vitória.
“Ainda existe um desnível considerável entre os quatro países que citei e os restantes, acrescentando, todavia, que Angola está a um nível igual ou superior a selecções históricas como Brasil, Alemanha, França e Suíça, pelo que no contexto global pode dizer-se que hóquei angolano está muito bem situado.
Osvaldo Varela em serviço na Confederação Helvética desde 2011 falou sobre a importância dos ganhos com a construção de infra-estruturas que irão ajudar na dinamização da modalidade, referindo-se ao estádio Arena de
Luanda, em construção na zona da Camama, com capacidade para 12 mil espectadores, e no Namibe (três mil espectadores).
“Com a realização do mundial a massificação será uma realidade no país, facto que ficou visível no pré-lançamento do evento onde já se viu campanhas de massificação e sensibilização no município do Cazenga”, afirmou.
Sei, prosseguiu, que Malanje tem mais de 400 patinadores, apesar do hóquei ser um desporto caro e infelizmente a organização e os meios financeiros dos clubes não permitir ainda maior massificação, com a aposta do governo central, o apoio dos governos provinciais e da Federação acredito que a modalidade venha a ser praticada a nível nacional.
O diplomata apelou a união dos angolanos em torno da realização do mundial inédito em África, no sentido de prestarem todo apoio à Federação e ao Comité Organizador, além de ter louvando o empenho do executivo
na organização de eventos internacionais.