News & Announcements

19/02/2013: Seminário Metodológico recomenda formação permanente de quadros do Comércio

Seminário Metodológico recomenda formação permanente de quadros do Comércio

Luanda - O sector do comércio em Angola regista, actualmente, insuficiências quantitativas e qualitativas de quadros e para ultrapassar esta situação o Ministério do Comércio deverá implementar programas de formação e capacitaçãio de quadros, de forma permanente.

A recomendação vem expressa no comunicado final divulgado sábado, em Luanda, no encerramento do "Seminário Metodológico sobre Comércio Externo", em que os participantes abordararm, entre outros assuntos, a
problemática do aumento das exportações dos produtos nacionais, a formação de quadros e os desafios regionais, no âmbito da SADC.

De acordo com o comunicado do encontro, o país regista " insuficiências quantitativa e qualitativa de equipas negociais para o acompanhamento dos diversos processos relacionados com o Comércio e a ausência
de uma instituição, de âmbito nacional, de apoio às exportações.

Nesta perspectiva, Angola vai criar, ainda este ano, um Instituto Nacional de Apoio às Exportações, uma instituição que se dedicará, fundamentalmente, a promover o acesso dos produtos nacionacionais no mercado
internacional, conforme anunciou sexta-feira passada a ministra do Comércio, Rosa Pacavira, na sessão inaugural do seminário metodológico.

O ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, Edeltrudes da Costa, disse que a criação do Instituto decorre da necessidade do país em desenvolver a sua capacidade de exportações de produtos para os quais Angola apresenta boas perspectivas competivas e comparativas.

Falando, neste sábado, na sessão de encerramento do Seminário Metodológico sobre o Comércio Externo, Edeltrudes da Costa sublinhou que "é orientação do Chefe do Executivo angolano, José Eduardo dos Santos, a
preconização de acções tendentes à saída de Angola da dependência do petróleo" visando a efectiva diversificação da economia nacional.

"As potencialidades continuam a existir, precisando, no entanto, que se criem as condições administrativas, financeiras e de coordenação das estratégias sectoriais, para a materialização do nosso objectivo de
diversificação ectiva da economia, passando o país de mono exportador à Nação pluri exportador e auto-suficiente" frisou.

Neste perspectiva, o Instituto a criar dedicar-se-á exclusivamante a promover o acesso dos produtos nacionais no mercado internacional, em apoio aos sectores público e privado.