News & Announcements

08/02/2013: Ministro da Defesa Nacional chama quadros a pôr capacidades ao serviço da pátria

Ministro da Defesa Nacional chama quadros a pôr capacidades ao serviço da pátria

Luanda - Os quadros do Ministério da Defesa Nacional devem pôr as capacidades de intervenção e inteligência ao serviço da Pátria, enquanto elementos imprescindíveis às tarefas da defesa e segurança nacional, advogou o
titular do departamento governamental, Cândido Pereira Van-dúnem.

A propósito da realização ontem quinta-feira, em Luanda, do Conselho Directivo anual do pelouro, exortou a continuarem unidos no esforço patriótico de construção de uma sociedade solidária, de paz, estabilidade e
progresso social.

"É importante aperfeiçoar o trabalho, esforçando-nos para não cometer os mesmos erros, sempre com preocupação de elevar a qualidade, na perspectiva de servirmos, cada vez melhor a Pátria", referiu.

O governante defendeu ainda a importância dos quadros  observarem a cultura de trabalho de excelência, e estarem permanentemente centrados na melhoria do desempenho profissional, apelando a boa execução dos
programas de trabalho e correcto manuseamento das verbas postos a disposição
pelo Estado.

"A procura de soluções para os problemas deve ser permanente e oportuna, evitando-se que eles se arrastem e se agravem. A celeridade na resolução dos mesmos deve ser prática constante. No entanto, a rapidez não deve dispensar a necessária ponderação sobre o que deve ser feito para se encontrarem soluções que produzam resultados positivos", destacou.

"No que diz respeito a prossecução das tarefas que nos estão incumbidas, continuamos a advogar o conceito alargado de Defesa Nacional, de matriz multifacetada e de intervenção multissectorial, onde igualmente a
sociedade é chamada a complementar os esforços requeridos para este propósito que o MINDEN e as FAA desenvolvem com sistematividade", salientou.

Os participantes procederam a avaliação do balanço das actividades do IV trimestre de 2012 e a execução do orçamento do mesmo ano, bem como receberam informações sobre o curso de pagamento dos subsídios aos
pensonistas da Caixa de Segurança Social das Forças Armadas Angolanas, entre outros assuntos igualmente incontornáveis para o desenvolvimento da instituição.