News & Announcements

03/01/2013: Região SADC marca viragem na competição da CAF

Região SADC marca viragem na competição da CAF

Luanda – A partir de 19 deste mês, 16 selecções, incluindo Angola, iniciam a 29ª Taça de África das Nações em futebol, edição que marca uma viragem no desenrolar da principal competição da CAF e com grande protagonismo
da região SADC e significativa presença lusófona.

Quarenta e cinco anos depois, o CAN volta a ser disputado num ano ímpar, na sequência de bem concebida decisão da CAF, que visa evitar a coincidência com o ano em que se realizam quer o campeonato do mundo quer os Jogos Olímpicos.

Assim, de 19 deste mês a 10 de Fevereiro, a África do Sul alberga esta histórica edição da prova, colocando a região da Comunidade dos Países da África Austral (SADC) novamente no centro das atenções do “desporto-rei” internacional, já que a terra de Nelson Mandela foi anfitriã mais recente de um campeonato do mundo de futebol (2010).

A indicação deste país, que se estreou em organizações do CAN em 1996, decorreu da indisponibilidade da Líbia, que havia sido eleita para organizar este evento, mas em consequência da instabilidade política foi retirada como sede da competição.

A última vez que o CAN decorreu num ano ímpar foi em 1965, numa altura em que ainda não era regular a periodicidade do evento, já que a edição de estreia foi em 1957 no Sudão. Seguiu-se Egipto'59, mas a terceira
ocorreu três anos depois - em 1962 na Etiópia. A quarta, no Ghana, foi disputada em 1963, para a Tunísia fechar a era da irregularidade em 1965.

A partir de 1968, altura em que a Etiópia se tornou no primeiro país a albergar o torneio duas vezes, a taça das nações em futebol passou a ser regular, de dois em dois anos. A nível da SADC, Angola foi sede da prova em
2010, enquanto a África do Sul albergou o evento em 1996, as duas únicas ocasiões em que a prova chegou a esta região.

Esta é a segunda vez que a prova se disputa num espaço tão curto, já que no ano passado por esta altura, decorria a organização conjunta Gabão-Guiné Equatorial. A primeira sequência foi da Etiópia1962 para Ghana1963.

A “repescada” África do Sul terá um evento sem os dois lideres do Ranking, o Egipto que tem sete títulos (1957, 1959, 1986, 1998, 2006, 2008, 2010) e os Camarões, vencedores em quatro ocasiões (1984, 1988, 2000,
2002). Assim, o principal protagonismo da 29ª edição recai para o Ghana (4 títulos: 1963, 1965, 1978 e 1982).

Entretanto, o CAN2013 também fica na história da comunidade lusófona, que assinala a estreia do terceiro membro nestas lides: Cabo Verde. Foi também neste palco que Angola e Moçambique disputaram pela primeira vez este torneio em 1996.

O facto de o detentor do troféu ser um país da região leva a crer que a Zâmbia vai jogar em "casa". Além disso, o palco do CAN2013 é de inolvidável memória para mais dois membros da SADC. Os anfitriões Bafana
Bafana conquistou a sua única taça africana (1996), ano que também marcou a estreia de Angola na competição.

Angola vai na sua sétima presença e apenas duas passagens da fase de grupos, tem uma motivação suplementar, porque pela primeira vez habilita-se a um torneio mundial num país “irmão”, visto que o vencedor do CAN2013 representa o continente na Taça das Confederações – competição que ensaia o Mundial FIFA, agendado para o Brasil em 2014.