News & Announcements

30/10/2012: Ministro da Economia assina termo de homologação das contas de 15 empresas públicas

Ministro da Economia assina termo de homologação das contas de 15 empresas públicas
Luanda - O ministro da Economia, Abrahão Gourgel, procedeu hoje, terça-feira, em Luanda, à assinatura do termo de homologação das contas de 15 empresas e do sector público, acto testemunhado pelos respectivos presidentes
dos conselhos de administração.
Pelo Ministério da Economia, foram homologadas a Zona Económica Especial Luanda/Bengo EP, dos Petróleos “Sociedade Nacional de Combustível de Angola EP”, do Comércio “Intreposto Aduaneiro de Angola EP”,
Energia e Águas “ Empresa de Distribuição de Electricidade (EDEL), Empresa Nacional de Electricidade (ENE EP), Empresa de Distribuição de Águas (EPAL EP), Empresa de Águas e Saneamento de Lobito (EASL EP)”.
Pelo Ministério dos Transportes os sectores de “Caminhos de Ferro de Moçamedes EP, de Luanda EP e de Benguela EP e a Empresa Portuária de Cabinda EP, enquanto pelo Ministério da Comunicação Social a Televisão Pública de Angola (TPA), Edições Novembro e Rádio Nacional de Angola e no Ministério da Geologia e Minas a Ferrangol.
A Angop apurou no local que as empresas que não apresentaram as suas contas referente ao exercício económico de 2011 poderão ter limitações financeiras atribuídas pelo Estado.
De acordo com o ministro da Economia, o acto traduz-se na vontade do Executivo em acrescer transparência no processo de governação pública e na busca de boas práticas de gestão e governação.
Acrescentou que o acto visou igualmente dar um passo para a melhoria da governação empresarial pública.
"Muitas empresas públicas estão a acumular problemas que reclamam solução de difícil implementação, a curto prazo, como ao nível da situação jurídica e regulamentar, cuja resolução adequada pode exigir mudanças institucionais complexas e alterações na legislação vigente", considerou.
Reconheceu haver ainda dificuldades de organização dos registos de informações fiáveis e de profissionais de contabilidade, bem como de gestão financeira de algumas empresas, que quase tornam impossível a tarefa do
sector empresarial público, de elaborar contas consolidadas.