News & Announcements

14/09/2012: Frequentadores da Baía de Luanda enaltecem novo figurino do local

Frequentadores da Baía de Luanda enaltecem novo figurino do local

Luanda - Frequentadores da Baía de Luanda enalteceram em Luanda o novo figurino do local por oferecer à cidade melhores condições ambientais, de lazer e para o estacionamento de veículos, após a obra de
requalificação de que foi alvo.
Abordados pela Angop no local, os frequentadores consideraram oportuna a modernização do espaço que, além de contribuir para a melhoria da imagem da capital, está a permitir aos citadinos usufruir de uma baía moderna e
renovada.
O funcionário público Osvaldo Kiele Bungo congratula-se com a requalificação do local e apela a um esforço comum para a manutenção das novas zonas verdes a fim de se assegurar a sua longevidade. Aconselhou os automobilistas a terem cuidado na condução.
A estudante Esmeralda André considerou positiva a intervenção por mudar completamente a imagem da Marginal de Luanda, assim como da própria cidade de Luanda, tendo aconselhado aos motoristas a prestarem muita atenção às passadeiras.
"As passadeiras permitem aos automobilistas maior cuidado, bem como os semáforos com sinais acústicos fazendo com que estes respeitem e tenham responsabilidades na condução. Aos peões aconselhou a atravessarem apenas nas zonas onde haja passadeiras.
A ambientalista Alice Costa destacou os trabalhos de limpeza e o desassoreamento de areias que foi feito ao longo da orla marítima, o que oferece um ambiente mais saudável para as espécies marinhas e para a população,
bem como a redução dos problemas registados na circulação de automóveis e pessoas na circunscrição.
Reaberto no mês de Agosto deste ano pelo presidente da república, José Eduardo dos Santos, o local conta com cinco hectares de zonas verdes abertas ao público e três quilómetros de palmeiras plantadas ao longo da
baía, do Porto até à ponte da ilha de Luanda.
A obra iniciou em 2009 e envolveu a criação de um novo sistema de recolha de águas pluviais que permite escoar as águas das chuvas de todo perímetro da Marginal de Luanda, bem como a requalificação do sistema de
efluentes, incluindo cinco estações bombagem e equipamentos, evitando-se a poluição das águas do mar.