News & Announcements

13/07/2012: Malanje marca passos rumo à industrialização

Malanje marca passos rumo à industrialização
Malanje - A província de Malanje começa a dar os primeiros passos para a sua industrialização, que deverá proporcionar desenvolvimento e criação de mais empregos, afirmou nesta região, o ministro da Geologia e Minas e da Indústria, Joaquim David.
"Hoje vemos com agrado que em termos de indústria a província está a arrancar”, frisou o governante no final da inauguração de duas fábricas de colchões.
Segundo o ministro, o Executivo conhece as dificuldades e as necessidades que a província enfrenta no domínio da energia, transportes, comunicação e água.
Referiu que o Governo apostou num programa de reactivação da indústria têxtil, razão pela qual foram inauguradas duas unidades industriais vocacionadas à produção de colchões. Informou que está prevista a criação da fábrica de confecções, que, afirmou, será fundamental para o país, tendo em conta a quantidade de tecido que se prevê produzir.
Na forja, estão também a edificação da fábrica de tijolos e telhas, uma cerâmica de grandes dimensões que mostra a ambição de empresários e autoridades da província em ocupar o seu espaço no contexto económico de
Angola.
“Esta unidade de tijolo e telha quando estiver em produção será a maior fábrica de Angola”, referiu Joaquim David.
O ministro da Geologia e Minas e da Indústria avançou que o sector que dirige está a preparar um programa que vai criar um instituto tecnológico para tratar de problemas informáticos ligados à indústria.
“É evidente que os esforços serão poucos em relação às necessidades. Estamos num caminho que consideramos o melhor. O que é necessário é que este caminho seja planificado, consistente, tenha estudo, lógica e que haja os meios para os percorrer. Temos consciência que temos isso tudo”, sublinhou o governante.
O governador da província de Malanje, Boaventura Cardoso, disse, na ocasião, que o sector industrial está a dar os primeiros passos, pelo que é necessário reconhecer que Malanje precisa de mais indústrias para se desenvolver e gerar empregos para a juventude.