News & Announcements

08/07/2012: Acções para o sucesso do censo passam pela comunicação - diz ministra

Acções para o sucesso do censo passam pela comunicação - diz ministra


Luanda - As acções preliminares para o sucesso do censo geral da população, orçado em 80 milhões de dólares americanos, passam pela comunicação e formação com pendor didáctico aos seus beneficiários, considerou, em Luanda, a ministra do Planeamento, Ana Dias Lourenço.

A governante prestou esta informação durante uma visita que efectuou ao Gabinete Central do Censo (GCC), afecto ao Instituto Nacional de Estatística (INE), com o intuito de se inteirar do trabalho desenvolvido até ao momento no âmbito do Recenseamento Geral da População e Habitação (RGPH/2013).

De acordo com a responsável, o censo piloto vai ser realizado este ano em seis das 18 províncias do país, onde nestas serão seleccionados dois municípios, com realce para Luanda, Kuando Kubango, Uíge, Namibe e Huambo, num processo nacional que ronda um total de 80 milhões de dólares.

Na reunião com a coordenação geral do censo, a titular da pasta fez saber que o censo constitui a operação estatística mais complexa que os institutos fazem, daí que o ministério tem acompanhado todo o trabalho através de contactos permanentes com a direcção do INE, com relatórios trimestrais sobre o assunto.

“Passados seis meses desde o início dos trabalhos, impõe-se o contacto físico com o local e com os técnicos para fortalecer a sintonia já existente entre os diversos sectores, que permite juntar esforços e complementar as actividades que este grande desafio impõe”, disse.

Para a responsável, o desafio é grande e os técnicos estão conscientes de que os prazos são curtos, porquanto o censo piloto vai já com algum atraso, mas deve ser realizado em Outubro, daí que para esta empreitada devem estar envolvidos também os governos provinciais para maior engajamento das estruturas locais na preparação e realização do mesmo.

O outro grande desafio, acrescentou, é o da formação, neste sentido a subcomissão que responde pela área dever redobrar o seu trabalho para informar e instruir as pessoas com mensagens de qualidade para que no final se tenha um resultado que dê credibilidade nacional e internacional, fundamentalmente nas instituições da Nações Unidas que acompanham o processo.

Associado a isso a comunicação e a publicidade também se reveste de particularimportância, o que se transmite nos órgãos de comunicação social tem muito importância na relação agente/população, de forma a facilitar e garantir que as fases do censo decorram sem sobressaltos.

Para a responsável, a união sinergias satisfaz por juntar vários sectores com particularidade as Forças Armadas Angolanas (FAA) e a Polícia Nacional, que jogam um papel importante na realização do processo, tanto no asseguramento do pessoal e da operação logística, bem como nas ajudas em acessos e deslocação a locais longínquos do território nacional.

Desde já, disse, o apelo à população é no sentido de se apoiar os agentes que neste momento estão a tratar da cartografia, porquanto os registos cartográficos são a base para a realização de todo trabalho que se pretende com êxito.

O Executivo angolano está a preparar o Recenseamento Geral da População e Habitação (RGPH-2013), também designado por Censo, uma operação completa de recolha, compilação, avaliação, análise e publicação de dados demográficos e socio-económicos num período específico de todas as pessoas residentes e das habitações de um determinado país.

Com a realização do Censo, será possível saber exactamente a estrutura da população e da força de trabalho, a sua distribuição geográfica e as áreas de investimentos prioritários.

O Executivo poderá, assim, aperfeiçoar as políticas públicas para a saúde, educação, habitação e segurança social.