News & Announcements

13/06/2012: Angola dispõe de potencialidades naturais para sustentabilidade da economia

Angola dispõe de potencialidades naturais para sustentabilidade da economia

Luanda  - Angola dispõe de potencialidades naturais para atingir níveis de produção que possam contribuir para o crescimento económico e o desenvolvimento harmonioso das famílias, soube hoje a Angop.

Segundo o boletim informativo do Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural e Pesca, a que a Angop teve acesso, a existência de solos férteis para agricultura, a biodiversidade, o clima e a genética, a abundância
de recursos hídricos, associada a uma expressiva faixa da população, cuja actividade está directamente relacionada com a produção agrícola, constituem factores favoráveis para o desenvolvimento agro-pecuário do país.

O boletim informa que o sector florestal angolano é o segundo na região Austral de África, depois da República Democrática do Congo, com um potencial rico e variado de recursos florestais e faunísticos. Considerando que
60 porcento da população vive no meio rural, o sector florestal é o maior contribuinte para os sectores energético, alimentar, construção civil e industrial.

Por outro lado, os objectivos do milénio na produção global de alimentos e as vantagens competitivas do sector agrário no mercado interno e externo proporcionam oportunidades para um franco crescimento agrícola.

De acordo com a fonte, este crescimento é justificado por uma clara vontade política para se apostar na diversificação da actividade económica do país, sendo o sector da agricultura considerado como estratégico para este processo de diversificação.

“O fim da guerra de Angola, em 2002, permitiu ao governo angolano retomar um conjunto de acções, dentre as quais a disponibilização recursos financeiros, vinculados a programas de reabilitação e construção de
infra-estruturas. Dentre várias acções em curso em todo o território nacional, destaca-se a reabilitação das principais vias rodoviárias, pontes, caminhos-de-ferro, geração e distribuição de electricidade, pontos de
abastecimento de água.

Como resultado desse esforço, Angola tem alcançado níveis considerados de actividades económicas, com um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da ordem de 11,3 porcento em 2004, 20,6 porcento em 2005, 18,6
porcento em 2006, 27 porcento em 2007.

Segundo o boletim informativo, uma análise pormenorizada desses números revela que os sectores que mais contribuíram para esse elevado ritmo de crescimento da actividade económica  em 2005, foram os petróleos   (26%9, diamantes (16,2%) e construção civil (16,9%).