News & Announcements

05/04/2012: Programa de Reconstrução Nacional será concluído antecipadamente em 2013

Programa de Reconstrução Nacional será concluído antecipadamente em 2013

Luena - O Programa de Reconstrução Nacional será concluído antecipadamente no princípio do próximo ano, em vez de 2015/2016 como estava previsto, anunciou ontem, o Presidente da República, José
Eduardo dos Santos, na província do Moxico.

Discursando no acto central alusivo ao Dia da Paz e Reconciliação Nacional, que hoje se assinala, o Chefe de Estado afirmou que todas as principais vias de comunicação rodoviária e ferroviária estão
praticamente reabilitadas.

Sublinhou o facto de linha do Caminho-de-Ferro de Benguela estar já às portas da cidade do Luena."Espero que em Agosto próximo possamos voltar cá para inaugurar a estação do caminho-de-ferro".

Augurou que nesta altura (em Agosto) os comboios possam circular da cidade do Lobito ao Luena, bem como terminadas as obras de reconstrução da via rodoviária Dundo/Saurimo/Luena, para a melhoria do trânsito
de viaturas e a circulação de pessoas e bens.

José Eduardo dos Santos realçou ainda o facto de a reconstrução e abertura de todos os eixos rodoviários e ferroviários permitirem aumentar a circulação de pessoas e bens, bem como revitalizar a actividade
económica e social em todo o país.

Fazendo referência às mudanças verificadas em tempos de paz, o Presidente da República elucidou que há 10 anos várias dezenas de administradores municipais e comunais não tinham instalações e estavam a
trabalhar em casebres ou tendas porque as infra-estruturas administrativas estavam destruídas.

"Milhares de crianças estudavam à sombra de árvores, sentadas em latas e pedras, hoje já muita pouca situações como estas existem, ainda existem, mas são muito poucas e temos que trabalhar agora para construir
mais escolas", asseverou.

Particularizando a província do Moxico, informou que vai abordar com o Executivo local a estratégia para a construção de mais 94 escolas e tirar cerca de 50 mil alunos fora do sistema escolar, bem como da nova
central de captação de água.

"Estes são os nossos problemas e que tem de os resolver somos nós, o Governo, a população, enquadrada na sociedade civil organizada, os empresários, intelectuais, entre outros", exprimiu.

Para o Presidente da República, é evidente que estas são grandes despesas do Estado, que requerem que haja dinheiro para realizar.

Neste quadro, anunciou que o Governo Central vai estudar as fontes de recursos para reforçar o orçamento da província do Moxico, "ainda que tenhamos que recorrer a algum empréstimo de um país amigo para
resolver estes problemas que são graves eurgentes da população desta província".