News & Announcements

04/03/2012: Aumento do orçamento da SADC - destaque da semana

Aumento do orçamento da SADC - destaque da semana
Luanda - A proposta de um aumento do orçamento da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) para 2012/13, de USD 32 milhões para 34 milhões de dólares norte-americanos, elaborada pelo Comité de Finanças desta organização regional, constitui um dos assuntos mais importantes publicados durante a semana que findou.
Os valores propostos pelo Comité de Finanças não incluem contribuições de parceiros internacionais e 40 porcento da receita será destinada ao pagamento de salários dos funcionários do secretariado e outra parte para programas de integração regional.
Ainda no âmbito da SADC, a presidente do Conselho de Ministros da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral, a ministra angolana do planeamento, Ana Dias Lourenço, afirmou que está em estudo a viabilidade para uma zona de comércio tripartida.
O projecto deverá integrar países africanos membros da região Austral, do Mercado Comum da África Oriental e Austral (COMESA) e da Comunidade da África Oriental (EAC).
Por outro lado, o noticiário económico da semana divulgou os valores disponibilizados pelo Executivo angolano para, este ano, viabilizar a materialização do Programa de Desenvolvimento das Micro Pequenas e Médias
Empresas (PDMPME), avaliado em USD 809 milhões.
O PDMPME é uma iniciativa do Executivo Angolano para promover o progresso económico e social do país. Segundo fontes próximas do processo, ainda neste Março dar-se-á início à concessão dos primeiros incentivos a
empresários.
Publicou-se também, no domínio empresarial, a realização de um road show sobre investimentos no sector avícola de empresários angolanos e estrangeiros. O encontro visou a apresentação e esclarecimento de programas ou
projectos sobre a Dinamização do Sector dos Ovos e Frangos, eleito como “bandeira” do PDMPME.
Mereceu destaque noticioso da Angop, a informação do director do Centro de Apoio Empresarial(CAE) da Câmara de Comércio e Indústria de Angola (CCIA), Caetano Capitão, segundo a qual, as pequenas e médias empresas angolanas já têm tido uma actuação de alto nível no sector petrolífero, na prestação de serviços básicos e ntermédios, embora ainda não satisfaça as expectativas do Executivo angolano.
Disse também que mais de 100 empresas nacionais têm certificados de qualidade do CAE que as permite actuar no sector dos petróleos e em outros, prestando serviços de qualidade.
Relativamente ao sector industrial, na semana que findou, o secretário de Estado da Indústria, Kiala Gabriel, disse existir preocupação do Executivo angolano em torno da estabilização do preço do pão, e para tal aprovou-se, em 2011, um programa sobre a comercialização do trigo em vários níveis, a construção de infra-estruturas de apoio à indústria panificadora.
O plano inclui o incremento de moajeiras, a instalação de moagens para proceder ao tratamento do trigo importado e da cadeia de valores do trigo.
Sobre o sector dos Petróleos, o vice-ministro, José Gualter dos Remédios disse, em Moçambique, que o reforço da cooperação, nesta área, entre Angola e Moçambique é uma das prioridades do Executivo Angolano.
Na mesma senda, foi anunciado que a Chevron investiu um bilião e novecentos milhões de dólares para explorar os 70 milhões de barris da reserva de petróleo do campo marítimo transfronteirço "Lianzi"(matacanha) partilhado por Angola e o Congo a nível de Cabinda, extremo Noroeste de Angola, Kouilou, a Sul de Brazzaville (capital da República do Congo).
Quanto ao sector financeiro e bancário, a Angop divulgou a implementação de um Subsistema de Pagamentos a Crédito Online, assim como a atribuição de dois prémios ao Banco Espírito Santo Angola (Besa), pelo Global Finance.
Na vertente agrícola, realçou-se o encerramento da Feira da banana que se realizou, em Caxito, o primeiro certame do género no país, que permitiu concluir a auto suficiência deste produto.
Durante a feira, foram publicadas também várias notícias sobre a estiagem que se regista em quase todo o país, afectando seriamente a produção agrícola.
Assim, o Ministério da Agricultura Desenvolvimento Rural e Pescas já preparou a estratégia, para minorar os efeitos da seca que assola regiões de Angola.
A Angop noticiou igualmente matéria que dá conta que quase 40 porcento das exportações angolanas de petróleo vão para a China, representando 16 porcento das importações chinesas deste hidrocarboneto, citando o jornal
China Daily, num suplemento de oito páginas dedicado a Angola.
Constou também, entre os destaques da semana, o anúncio dado pelo secretário de Estado angolano para a cooperação, Manuel Augusto, de uma nova etapa de cooperação entre Angola e União Europeia, que poderá ser
formalizada, ainda este ano, com a vinda do presidente da Comissão Européia, Durão Barroso, ao país.