Press Release

19/04/2017: ANGOLA ABORDA QUESTÃO DE CORRESPONDÊNCIAS BANCÁRIAS EM WASHINGTON

ANGOLA ABORDA QUESTÃO DE CORRESPONDÃNCIAS BANCÃRIAS EM WASHINGTON

Luanda - A questão do apoio ao acesso aos serviços de correspondência bancária, um problema que afecta também Angola, foi abordado nesta terça-feira, em Washington DC, Estados Unidos da América, entre a delegação angolana àquele país e o vice-presidente do Banco Mundial (BM), Mahktar Diop.

Neste encontro, que foi encabeçado pelo ministro das Finanças, Archer Mangueira, a delegação angolana sugeriu ao Banco Mundial que aborde este assunto das correspondências bancárias com seriedade, visto que constitui um problema de exclusão financeira de um conjunto de países com fragilidades institucionais do sistema financeiro internacional.

A questão acontece numa  altura em que o BM  fala de inclusão financeira dos cidadão dos  países  afectados por  esta  questão.

A delegação angolana, que se encontra  em  Washigton,  D.C,, no quadro das  reuniões de Primavera das instituições de Bretton Woods, abordou, de igual  modo, com o  vice-presidente do BM, assuntos relativos à  estrutura  da nova parceria  entre  Angola e  esta  instituição financeira, olhando para os projectos  em desenvolvimento  e as suas  necessidades  financeiras.

Neste mesmo encontro, Archer Mangueira apresentou o quadro macroeconómico actual, a evolução recente e as perspectivas de crescimento do país.

No seu turno, o Banco Mundial manifestou durante o encontro acção de disponibilidade para apoiar  Angola, no que fôr do interesse das autoridades, sobretudo  aquelas que estão ligadas ao asseguramento dos serviços de correspondência bancária às instituições financeiras angolanas, bem como à produção agrícola,  como meio de alivio à  pressão sobre a balança de pagamentos, dado o elevado nível de importação de bens alimentares.

Sendo preocupação do presidente do Banco Mundial preparar as nações para a economia do conhecimento, Makhtar Diop manifestou o desejo de ver Angola a adoptar também programas relacionados com a nutrição.

Já no encontro mantido  com o director do Departamento Africano do FMI, Abebe Selassie, os assuntos foram focalizados na análise da conjuntura e das medidas do Executivo para fazer face ao controlo da inflação, diversificação das exportações, melhoria da condição financeira do Estado, bem como do sistema financeiro nacional.

Abebe Selassie expressou a preocupação do FMI em relação à queda dos índices do crescimento económico, especialmente entre os países motores da região – África do Sul, Nigéria e Angola,  que atingiu em 2017,  apenas 1,5% ou seja, o nível mais baixo dos últimos 25 anos.

Desta feita, apelou à responsabilidade destes países no sentido de manterem o foco nas reformas estruturais, tendo em vista a recuperação da confiança dos investidores.

Nesta quarta-feira, o ministro das Finanças tem previsto  um encontro com o director-adjunto do Fundo Monetário Internacional, Tao Zhang, além da reunião da Constituência junto do FMI e com a Unidade de gestão do país junto do Banco Mundial.

Integram a  delegação de Angola presente nas reuniões de primavera das instituições de Bretton Woods, o ministro do Planeamento e Desenvolvimento do Território, Job Graça, o vice-governador do Banco Nacional de Angola, Tiago Dias, para além de altos quadros dos três organismos do Estado.

Os presidentes dos Conselhos de Administração do Banco de Desenvolvimento de Angola e do Banco de Poupança e Crédito, nomeadamente Manuel Neto Costa e Ricardo Viegas D'Abreu, respectivamente,  também  integram a comitiva.