News & Announcements

22/09/2017: Angola: Investimento na construção absorve mais de USD 11 milhões

Angola: Investimento na construção absorve mais de USD 11 milhões

Luanda - Mais de onze milhões de dólares norte-americanos foram investidos nos últimos 12 meses no sector da construção civil, permitindo a edificação de infra-estruturas no país.

O facto foi revelado nesta sexta-feira, em Luanda, pelo director da Unidade Técnica de Apoio ao Investimento Privado (UTAIP) do Ministério da Construção, Cláudio Rodrigues, tendo referido que este valor resulta da assinatura de mais de dez contratos com empresas chinesas,  algumas das quais beneficiaram da Linha de Crédito da China (LCC) para execução de projectos de investimento público.

O responsável que falava hoje à Angop, após ter assinado mais um contrato de investimento privado, avaliado em um milhão e 580 mil dólares, com a empresa "China Jiangsu International Economic And Technical Cooperation Group, Ltd", destacou que 75 por cento deste investimento foi realizado por empresas nacionais.

O contrato assinado hoje vai reforçar a capacidade e a estrutura da empresa chinesa, que opera em Angola há mais de oito anos, no sector do comércio e fabrico de materiais de construção, usados na edificação de várias infra-estruturas no país, segundo o seu director-geral, Xu Bo.

Com base no contrato assinado, o projecto, a ser executado dentro de um ano, em Luanda, vai criar mais de 70 postos de trabalho, augurando alargar o número de empregos nos próximos tempos.

Na ocasião, o director da UTAIP considerou que os contratos de investimento privado assinados com várias empresas, principalmente chinesas, revestem-se de grande importância por trazer um efeito multiplicador a montante e a jusante na cadeia de produção de materiais de construção no país.

"As grandes obras de investimento público, recentemente inauguradas em Angola, foram implementadas e aprovadas com base nas propostas submetidas por empresas chinesas, que trouxeram linhas de financiamento que permitiram a execução de muitos projectos estruturantes no país", reforçou.

Quanto aos incentivos fiscais, que tornam o sector atractivo ao investidor, Cláudio Rodrigues afirmou que o Estado tem concedido incentivos maiores aos projectos de investimento que se proponham implementar em zonas economicamente mais desfavorecidas.

"Os projectos de investimento privado, inseridos no sector da construção, devido à sua especificidade, implicam uma actuação plurilocalizada, priorizando os incentivos fiscais aos investidores que queiram implementar as suas acções nas zonas mais recônditas do país", acrescentou o director.

A implementação de um modelo de Parceria Público Privada (PPP) para atrair o investimento privado na construção e modernização de infra-estruturas rodoviárias, tendo em conta a diminuição do peso do Estado na economia e a retirada de alguma pressão ao OGE, constitui um dos desafios da UTAIP.

As Unidades Técnicas de Apoio ao Investimento Privado (UTAIP) dos departamentos ministeriais são responsáveis pelo acompanhamento e fiscalização do sector de actividade no âmbito dos processos de investimento privado que já tenham sido aprovados.