News & Announcements

18/01/2018: Sector aeronáutico permite desenvolvimento do Turismo, diz Augusto Tomás

Sector aeronáutico permite desenvolvimento do Turismo, diz Augusto Tomás

Luanda - O sector aeronáutico desempenha um papel chave na economia angolana, na medida em que permite o desenvolvimento do Turismo, entre outras áreas, disse nesta quarta-feira, em Luanda, o ministro dos Transportes, Augusto da Silva Tomás.

Ao discursar na cerimónia de abertura da Conferência Internacional sobre Aviação Civil, promovida pela IATA, TAAG, Linhas Aéreas de Angola, e pela Boeing, o governante apontou as razões ou contributos essências da aviação civil na economia nacional.

Para Augusto Tomás, oferecem uma forma de mobilidade entre as cidades do país e entre Angola e o Mundo de forma rápida e segura, e ao promoverem essa ligação, facilitam o comércio global, o investimento e a manutenção da conexão com a diáspora, bem como aumentam a produtividade das empresas nacionais.

Ao fazer um rescaldo dos últimos dez anos da área dos Transportes, revelou que pelo menos 218 instrumentos jurídicos sobre aviação civil foram aprovados pelo Executivo, com o objectivo de tornar o sector mais competitivo, organizado e atractivo, assim como conferir maior segurança às companhias aéreas.

Informou que do conjunto constam Leis, decretos presidenciais, circulares aeronáuticas, resoluções, decretos, directivas, despachos, ordens, entre outros normativos, num total de quatro mil páginas.

Ainda na área do ordenamento jurídico destacou a adesão de Angola à várias convenções internacionais, nomeadamente no âmbito da ICAO (Organização Internacional da Aviação Civil), da IATA e da União Europeia.

O governante referiu-se igualmente à assinatura de cerca de 20 acordos com autoridades aeronáuticas estrangeiras, com destaque para as negociações em curso com alguns países relevantes no panorama internacional, como a Singapura e os EUA.

Sublinhou também os investimentos na rede de infra-estruturas aeroportuárias do país, através da construção, expansão e modernização de cerca de 18 aeroportos, além de outros três em construção em Cabinda, no Bié e em Luanda, o novo Aeroporto Internacional.

Entre os passos dados desde 2007, destacou a refundação da TAAG, que pode voar para qualquer país europeu como uma companhia segura e de prestígio internacional, transportando anualmente perto de um milhão e meio de passageiros.

"Isso permitiu a companhia aérea de bandeira fixar as suas receitas em cerca de 700 milhões de dólares norte americanos, voando para 25 destinos", salientou.

O ministro espera desta conferência "ideias que permitam aprofundar este contributo estrutural que a aviação civil dá ao desenvolvimento de Angola".

A Conferência Internacional sobre Aviação Civil vai, durante dois dias, abordar o estado do sector no país e no mundo, reunindo todas as direcções dos transportes aéreos como a ENANA, TAAG e INAVIC, assim como as companhias ligadas a aviação que operam no país.