News & Announcements

01/05/2016: Cuanza Norte: Segunda central da barragem de Cambambe em fase de conclusão

Cuanza Norte: Segunda central da barragem de Cambambe em fase de conclusão

Cambambe - A segunda central de Cambambe, que vai ter um circuito de adição completamente novo na tomada de água e uma subestação própria, encontra-se na sua fase de conclusão, informou sexta-feira, em Cambambe, província de Cuanza Norte, o director do projecto, Alberto Carneiro.

O projecto consiste no alteamento e expansão do Aproveitamento Hidroeléctrico de Cambambe (AHC).

O responsável prestou essa informação à imprensa, no final da visita do ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, ressaltando que esta segunda central está a ser gizada para ter quatro grupos, sendo que a montagem do primeiro grupo se encontra em fase final.

Referiu que o ateamento está concluído, com a previsão de nas datas contratuais estarem todas as condições criadas, para se começar a gerar energia através do grupo um, e de forma faseada entrar em funcionamento os outros grupos, para no final se ter a potência de 700 megawatts na segunda central.

Salientou que a barragem está nesse momento em execução de um programa chamado de ampliação e modernização, por ter sido construída nos anos 50, tendo a primeira máquina entrado em funcionamento no fim dos anos 60, com uma geração de energia a necessidade da população daquela época.

Aclareou que nos anos 90, o Executivo resolveu fazer a reabilitação da central um, e com essa decisão considerou-se a necessidade de se construir a central dois de Cambambe, decisão está que advêm também desde o acto da sua construção.

Realçou que a central um foi construída para garantir uma determinada potência, na altura de 45 megawatts por grupo, mas que a sua capacidade total instalada, na época era de 65 megawatts.

Tendo o ateamento concluído e as máquinas de Cambambe um na sua potência máxima, a barragem terá um acréscimo de 20 megawatts por máquina nesta central, que passará dos 180 megawatts actuais para 260 megawatts.

Explicou que actualmente a AHC conta com uma potência de 180 megawatts e que, no final do processo, terá 960 megawatts, o que representa um incremento significativo na potência em Cambambe. Todas as condições estão a ser criadas para que essa potência seja escoada para os consumidores.