News & Announcements

25/04/2016: PR aborda estado da cooperação com dirigente belga

PR aborda estado da cooperação com dirigente belga

Luanda - O reforço da cooperação entre Angola e o Reino da Bélgica, fundamentalmente no sector dos diamantes, foi uma das intenções manifestadas hoje, segunda-feira, em Luanda, pelo vice-primeiro ministro e ministro dos Negócios Estrangeiros, do Comércio Externo e Cooperação para o Desenvolvimento belga, Didier Reynders.

Esta intenção foi anunciada ao Presidente da República, José Eduardo dos Santos, pelo vice-primeiro ministro da Bélgica, Didier Reynders, que nesta segunda-feira, no cumprimento de uma visita de trabalho a Angola, foi recebido em audiência no Palácio Presidencial, tendo estado no centro do diálogo questões de interesse comum, no âmbito das relações de cooperação existentes.

"Manifestamos a vontade de estreitar a nossa cooperação com as autoridades angolanas. Temos várias áreas onde podemos cooperar e pensamos que o reforço da cooperação política é importante sobretudo no domínio económico", afirmou à imprensa o dirigente belga logo à saída do encontro.

Disse que Angola e a Bélgica "tem pontos de vista em comum no âmbito económico com principal realce para o sector dos diamantes, porque Angola tem essa potencialidade".

"Nós pretendemos também dinamizar ainda mais a cooperação no domínio dos transportes aéreos e temos a proposta de cooperar na área de energias renováveis, tratamento de água, no sector da saúde e no tratamento do  lixo que é uma das apostas que temos intenção", referiu.

Explicou que com o Chefe de Estado angolano abordou também a questão dos direitos humanos em Angola e neste capítulo agradeceu ao Presidente José  Eduardo dos Santos, por tudo quanto a República de Angola, a nível do Conselho de Segurança das Nações Unidas tem feito.

Por outro lado, no quadro da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), Didier Reynders destacou que é importante que o estadista angolano, na qualidade de Presidente em exercício do organismo regional "pudesse continuar a incentivar o diálogo na República do Burundi, pois é a melhor via para a saída da crise política neste país".

Defendeu também o contínuo esforço do líder angolano no reforço do diálogo para a saída da crise política que está a surgir actualmente na República Democrática do Congo, no concernente ao processo da realização de novas eleições presidenciais.

Por seu lado, o ministro angolano das Relações Exteriores, Georges Rebelo Pinto Chikoti, que testemunhou a audiência no Palácio Presidencial, referiu que Angola e o Reino da Bélgica, no quadro da cooperação, têm vindo a concertar pontos de vista em como contribuir para paz, não só no caso do Burundi mas em outros casos de conflitos no âmbito da União Africana.

"O mais importante é essa abertura do governo belga em podermos conversar sobre estes temas", precisou o titular das Relações Exteriores, salientando que ambos os países também têm tratado de questões de interesse bilateral e que "as relações são boas".

Salientou que a nível dos ministérios existe já uma concertação para a fixação de datas com vista a regularizar ou promover encontros em cada dois anos. Delegações dos dois países, segundo o ministro Georges Chikoti reuniram-se há 20 anos.

O vice-primeiro ministro da Bélgica manteve ainda um encontro de trabalho com o ministro da Geologia e Minas, Francisco Monteiro Queiroz. Deixa hoje a capital do país com destino à República Democrática do Congo (RDC), segunda escala do périplo que efectua ao continente africano.

Os dois países cooperam nos mais variados domínios, com realce para os sectores das minas e dos diamantes, transportes, construção civil e obras públicas.