News & Announcements

27/04/2016: Angola e Alemanha discutem facilitação de vistos em passaportes diplomáticos

Angola e Alemanha discutem facilitação de vistos em passaportes diplomáticos

Luanda - As autoridades angolanas e alemãs estudam mecanismos para que, nos próximos tempos, possa existir uma maior facilitação na concepção de vistos em passaportes diplomáticos e de serviço.

Este facto foi dado a conhecer à imprensa, pelo secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros alemão, Stephan Steinlein, momentos após ter rubricado o Processo Verbal da Reunião da Comissão Bilateral Angola/Alemanha, que hoje aconteceu na capital angolana, com o seu homólogo angolano, Manuel Augusto.Stephan Steinlein acrescentou que esta terça-feira as duas delegações tiveram, a este respeito, conversas muito intensas e que irão continuar.

"Abordamos a questão dos vistos de forma intensa, mas como sabem hoje em dia, no caso da Alemanha, ela passa também por Bruxelas e não é possível discutir esta questão exclusivamente num contacto bilateral", argumentou.

De um modo geral, referiu que as partes consideram existir um grande potencial nas relações económicas entre os dois países, mas que ainda está muito longe de ser aproveitado.

Em relação aos resultados das conversações, o secretário de Estado das Relações Exteriores de Angola, Manuel Augusto, manifestou a sua concordância em relação à existência de um enorme potencial a explorar em termos da cooperação económica, comercial e técnica.

No entanto, o facto mais relevante, a seu ver, está relacionado com a República Federal da Alemanha passar a dar maior atenção à cooperação com África e, neste contexto,  Angola é uma das prioridades.

De igual modo, salientou existirem algumas acções em curso e empresas que já a actuam no mercado angolano.

"Esta comissão bilateral foi positiva, também pelo facto de ter permitido já encontrar-se algumas soluções para algumas questões apresentadas", disse.

O momento serviu também, argumentou, para que fosse dada ênfase à abordagem às questões relacionadas com as regiões em que estão inseridos os dois países.

Em África falamos da região dos Grandes Lagos, Golfo da Guiné, região Central, bem como obtivemos do secretário de Estado da Alemanha uma informação sobre a questão dos refugiados, como resultado de conflitos no Médio Oriente e no Norte de África.

Neste contexto, concluímos que sendo Angola um país membro não permanente do Conselho de Segurança da ONU deveriam tornar mais regulares as consultas para que pudessem, acompanhar de perto e dar contribuições para a busca de soluções para os problemas que afectam o mundo.

Durante os trabalhos, os membros das delegações foram repartidos em três grupos de trabalho que analisaram questões como política, energia e cooperação económica, que nas suas discussões falaram sobre projectos concretos.