Press Release

13/04/2016: ANGOLA NAS REUNIÕES DE PRIMAVERA DO FMI E BANCO MUNDIAL

ANGOLA NAS REUNIÃES DE PRIMAVERA DO FMI E BANCO MUNDIAL

Luanda - Uma delegação ministerial angolana encontra-se desde domingo em Washington DC, onde participa nas reuniões de primavera do Fundo Monetário Internacional (FMI) e Banco Mundial, a decorrer de 12 a 17 de Abril.

Segundo uma nota chegada à Angop, a delegação angolana é chefiada pelo ministro das Finanças, Armando Manuel, e integra ainda o vice-governador do Banco Nacional de Angola, Gualberto Lima Campos, para além de alguns responsáveis e técnicos dos Ministérios das Finanças, Planeamento e Desenvolvimento Territorial e do Banco Nacional de Angola.

Na capital americana, a comitiva angolana irá participar em diferentes sessões e reuniões ao mais alto nível, dirigidas aos ministros e governadores dos bancos centrais, além de audiências e encontros com executivos de bancos internacionais e responsáveis de várias instituições de Bretton Woods e da alta finança internacional.

As reuniões do Comité Monetário e Financeiro Internacional do FMI e do Comité de Desenvolvimento do Banco Mundial e do FMI,  discutem o progresso do trabalho das duas instituições bem como apresenta seminários, reuniões regionais, conferências de imprensa, e muitos outros eventos voltados para a economia global, desenvolvimento internacional e os mercados financeiros do mundo.

Angola é membro do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional desde 1989 e, nos últimos anos, tem vindo a cimentar a sua relação tendo em vista a promoção do crescimento económico do país.

Fruto desta relação,  o Governo angolano solicitou o apoio do FMI para um programa complementar à estratégia de Saída da Crise, voltada para a diversificação da economia nacional, tendo em conta a queda prolongada dos preços do petróleo no mercado internacional.

Angola e FMI esperam iniciar durante as reuniões de Primavera, discussões com vista a definir medidas de política económica a serem tomadas no quadro dos requisitos  do Programa de Financiamento Ampliado (Extended Fund Facility - EFF), com forte foco em reformas para remover ineficiências, manter a estabilidade macroeconómica financeira,  estimular o potencial económico do sector privado e reduzir a dependência do sector petrolífero.