News & Announcements

19/02/2016: EUA elogia Angola em debate sobre transparência e direitos humanos

EUA elogia Angola em debate sobre transparência e direitos humanos

Washington - O embaixador itinerante de Angola, António Luvualu de Carvalho, participou em Washington, nesta quinta-feira, num debate intitulado "Perspectivas sobre o estado de transparência, direitos humanos e da sociedade civil em Angola", organizado pela fundação americana National Endowement for Democracy, NED.

O evento, com a duração de uma hora e meia, que decorreu na sede daquela  instituição dos EUA, contou igualmente com a participação de Todd Haskell, subsecretário adjunto no Bureau de Assuntos Africanos do Departamento de Estado dos EUA, Rafael Marques de Morais, activista e jornalista angolano e o embaixador Princeton Lyman,  do Instituto para a Paz e membro do conselho executivo do NED.

Com o principal objectivo de destacar algumas das iniciativas do  Executivo angolano sobre as questões em debate, o evento foi uma oportunidade para partilha de pontos de vista sobre o progresso actual das reformas democráticas e o estado dos direitos humanos na República de Angola, bem como outros possíveis constrangimentos que o país enfrenta e como remediá-los.

As apresentações feitas durante o debate basearam-se em eventos que ocorrem actualmente no país, tais como o julgamento dos 17 jovens activistas e o impacto da queda do preço do petróleo na sociedade angolana.

"As questões mais relevantes do debate prenderam-se com a sociedade civil angolana tendo o activista e jornalista Rafael Marques apresentado uma série de questões para serem analisadas, como sendo os três casos que estão devidamente a ser tratados pelas instâncias judiciais, incluindo o seu próprio, que na altura tivemos a oportunidade de prestar o devido esclarecimento e contra-argumentar", disse o embaixador Itinerante Luvualu de Carvalho, que considerou que existem  muitos exageros e algumas inverdades na mensagem que tem sido passada.

Como exemplo, e no contexto do Painél, mencionou a afirmação feita por Rafael Marques durante o debate, de que na República de Angola desde 1975, apenas foi construído um hospital, o que mereceu na oportunidade o devido esclarecimento por parte de Luvualu de Carvalho que acrescentou que o Governo de Angola tem dado continuidade às suas políticas de fornecer um ensino e saúde gratuitos para grande parte da população na medida das suas possibilidades.

Luvualu de Carvalho considerou de positivo o convite endereçado ao Governo  angolano para participar no referido evento, o que permitiu que fosse possível apresentar o ponto de vista do Executivo e prestar os esclarecimentos necessários no que diz respeito às muitas afirmações menos abonatórias que circulam um pouco por todo o mundo.

O diplomata angolano destacou com muita particularidade a intervenção do representante da administração americana, Todd Haskell que na sua intervenção mencionou que a República de Angola é um dos três países do continente com quem os EUA têm uma parceria estratégica sendo que os outros são a África do Sul e a Nigéria.

O governante americano saudou a "liderança de Angola na região" e os esforços do Executivo na procura da paz, reafirmando que os EUA continuam dispostos a apoiar o Governo angolano, com iniciativas no domínio da promoção da democracia e da paz na região dos Grandes Lagos, bem como os seus esforços para a implementação efectiva da democracia e defesa dos direitos humanos, chamando a atenção dos presentes de que o país é ainda muito jovem e que por isso as dificuldades que atravessa são inerentes ao processo e às suas respectivas etapas. "Muito tem estado a ser feito e ainda muito há por fazer", disse Todd Haskell.

O embaixador Itinerante de Angola saudou a iniciativa do National Endowement for Democracy, NED, uma organização sem fins lucrativos dos EUA, que foi fundada em 1983 para promover a democracia, financiada principalmente através de uma dotação anual do Congresso dos EUA sob a forma de subvenção concedida através da Agência de Informações dos Estados Unidos (USIA).

Organização de tutela, metade do seu financiamento é atribuído anualmente às quatro principais organizações americanas: o Centro Americano de Solidariedade Síndica Internacional (ACILS), o Centro Internacional para a Empresa Privada (CIPE), o Instituto Nacional Democrático para os Assuntos Internacionais (NDI), e o Instituto Republicano Internacional (IRI), anteriormente conhecido como o Instituto Nacional Republicano para Assuntos Internacionais.

O NED possui um programa de bolsas e está estruturado para actuar como uma base de subsídios, distribuição de fundos para ONGs privadas com a finalidade de promover a democracia no exterior. Metade dos fundos do NED é concedida anualmente a centenas de organizações não-governamentais com sede no exterior que concorrem para obter apoio financeiro.

De acordo com o Director do Programa para África do NED, Dave Peterson, o evento transmitido ao vivo através da internet, ultrapassou todas as expectativas na história da organização batendo o record em vizualizações e usuários do twitter.

Assistiram ao mesmo, representantes da administração, Think Thank americanos, académicos, estudantes universitários, membros da imprensa, da comunidade angolana residente e diplomatas angolanos em missão em Washington, perfazendo um total de 200 pessoas.