News & Announcements

30/09/2015: EUA: Crise de refugiados serve de alerta sobre importância da resolução dos conflitos

EUA: Crise de refugiados serve de alerta sobre importância da resolução dos conflitos

Nova Iorque (Dos enviados especiais) - O ministro angolano das Relações Exteriores, Georges Chikoti, referiu nesta quarta-feira, durante a reunião ministerial do Conselho de Segurança da ONU, que a actual crise de refugiados que afecta grande parte do continente europeu tem servido como um alerta, para a comunidade internacional, sobre a importância de resolver os conflitos.

Georges Chikoti acrescentou que têm de ser vistas as causas profundas destes mesmos conflitos, em particular os que assolam grande parte do Oriente Médio e Norte da África nos últimos anos.A reunião foi presidida pelo ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Serguei Lavrov, e teve como objectivo a análise da situação no Médio Oriente e Norte de África.

"Estamos conscientes de que estes conflitos têm dado origem a uma série de organizações terroristas, e uma ideologia extremista que vem crescendo mais forte devido, em grande medida, ao aumento das tensões sociais, étnicas e ideológicas", referiu.

Questionou que raízes são essas, e como se pode resolver de uma forma abrangente e sustentável, respeitando os princípios e normas do direito internacional.

Mesmo que a resposta para a questão seja complexa e varie de país para país, o ministro acredita que a contenção do extremismo, o combate à desigualdade socioeconómica e fortalecimento da educação são estratégias fundamentais para formar sociedades democráticas sustentáveis na região e no mundo em geral.

"Somos da opinião de que o extremismo no Médio Oriente tem suas causas em interferência estrangeira nos assuntos dos estados, nas políticas dirigidas à mudança de regime, traduzido em intervenções militares directas, no financiamento e transferência de armas a actores não-estatais e grupos de oposição, bem como outros aspectos políticos e sociais", argumentou.

Por outro lado, disse que tem que se reconhecer que tais aspectos também são baseados em históricos de humilhações infligidas a esses povos, e são também a causa de seu ódio e intolerância para com a cultura ocidental, civilização, e em relação a outras religiões e credos.

Georges Chikoti disse ainda que os grupos extremistas procuram, usando tácticas terroristas condenáveis, impor a sua cultura e valores, não deixando espaço para a diversidade, seja ela religiosa, seja cultural, política ou ideológica.

Angola é membro não-permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas, tal como o Chile, Espanha, Jordânia, Lituânia, Malásia, Nigéria, Nova Zelândia e Venezuela, enquanto os membros permanentes são EUA, França, Reino Unido, Rússia e China.