News & Announcements

26/08/2015: Cuando Cubango: Destacado papel do PR na consolidação dos órgãos de soberania

Cuando Cubango: Destacado papel do PR na consolidação dos órgãos de soberania

Menongue - O vice-governador para o sector político e social do Cuando Cubango, Pedro Camelo, afirmou nesta segunda-feira, em Menongue, que a consolidação dos órgãos de soberania e de defesa constitui um valioso e inegável contributo do Presidente da República (PR), José Eduardo dos Santos.

Pedro Camelo prestou tal reconhecimento quando dissertava numa palestra com o tema “ A trajectória do Presidente da República e Comandante em Chefe das  Forças Armadas Angolanas (FAA) em prol do desenvolvimento de Angola”, destinada aos efectivos da 5ª divisão de infantaria da região militar sul, enquadrada nas  jornadas comemorativas ao seu 73º aniversário, a assinalar-se a 28 de Agosto.

Na sua abordagem, Pedro Camelo destacou que este contributo permitiu o alcance da reconciliação, crescimento e desenvolvimento do país, tendo afirmado que o percurso  histórico do PR confunde-se com a trajectória de Angola, desde a sua ascensão à independência, proclamada a 11 de Novembro de 1975.

Segundo sublinhou, tendo em atenção o percurso que conduziu a paz, verifica-se que no período entre 1986 a 1999 o Presidente José Eduardo dos Santos foi o garante dos esforços desenvolvidos para a pacificação do país e da Região Austral do continente africano.

Neste particular, argumentou que os esforços do Presidente da República culminaram com a retirada das tropas invasoras sul-africanas do território angolano, o regresso do contingente internacionalista Cubano e também a consequente independência da Namíbia.

Reiterou que a abordagem sobre a trajectória do PR vem justamente premiar o desejo dos efectivos das FAA afecto à 5ª Divisão de Infantaria da Região Militar Sul, de ser cada vez mais elevada o seu nível de conhecimento em matéria de tamanho interesse e significado para o país e não só.

“ Estamos em presença de um assunto cuja abordagem a todos diz respeito, se partirmos do facto de que estamos a tratar do contributo daquele que tem protagonizado feitos sem igual, em prol da defesa da soberania e da integridade territorial do país, sua pacificação, consolidação da democracia, reconstrução e desenvolvimento”, destacou.

Defendeu que a realidade que marcou o destino da “jovem pátria” está indissoluvelmente ligada à figura e visão do PR e Comandante em Chefe das FAA, que, apesar de todas as vicissitudes que o país enfrentou, foi determinante para que se mantivesse acesa a chama da esperança e da reconciliação.

De acordo com Pedro Camelo, a inteligência e protagonismo de José Eduardo dos Santos permitiram que no momento histórico próprio os angolanos esbatessem as suas diferenças e encontrassem as vias que os conduziriam à conquista da paz definitiva e à reconciliação genuína.

Lembrou que tão logo ficaram ultrapassados os factores externos, o PR lançou as pontes para a solução negociada do conflito interno, dinamizando a abertura do pluralismo político e da economia de mercado, que deu lugar a realização das primeiras eleições democráticas e multipartidárias, em Setembro de 1992.

Para Pedro Camelo, o 28 de Agosto está ligado à personalidade do Comandante em Chefe, cuja estatura e posicionamento no quadro da luta pela paz e pelo progresso granjearam-lhe respeito, admiração e confiança de todo povo angolano e particularmente dos combatentes das FAA.