Press Release

11/05/2015: EMBAIXADOR NOS EUA CONSTATA IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA DO PORTO DE NEW ORLEANS

EMBAIXADOR NOS EUA CONSTATA IMPORTÃNCIA ESTRATÃGICA DO PORTO DE NEW ORLEANS

Washington- O Embaixador de Angola nos EUA, Agostinho Tavares, visitou de 6 a 7 de Maio de 2015, o porto da cidade de New Orleans, Estado americano de Louisiana tendo no local constatado a sua importância estratégica.

Uma nota de imprensa da embaixada de Angola nos EUA chegada (sábado), à Angop, refere que a visita do diplomata angolano a New Orleans, enquadrou-se no âmbito das actividades programadas pela Câmara de Comércio EUA-Angola, à margem da Conferência anual de Tecnologia Offshore (OTC), que decorreu na cidade de Houston, Texas de 4 a 8 de Maio.

Durante a sua curta estadia Agostinho Tavares assistiu a uma sessão especial do Conselho Executivo da cidade de New Orleans, na qual os seus membros que representam os vários distritos da cidade homenagearam a República de Angola, pelo seu quadragésimo aniversário a ser celebrado no próximo dia 11 de Novembro.

A cerimónia foi seguida de um tour ao rio Mississippi, de uma visita ao porto de New Orleans bem como a pontos de interesse na cidade, adianta a nota.

Um dos maiores dos EUA e o único de águas profundas no país, o porto de New Orleans, Estado de Louisiana, movimenta cerca de 62 milhões de toneladas de carga por ano, além de cerca de 50 mil barcaças e 700 mil passageiros de cruzeiros devido ao potencial turístico e cultural da cidade.

Juntamente com o porto de South Louisiana, localizado nos subúrbios da cidade, forma um dos maiores sistemas portuários do mundo.

Angola e Nova Orleans compartilham diversas áreas de interesse mútuo nomeadamente nos sectores de petróleos, educação e cultura. De realçar que New Orleans é a cidade anfitriã no mundo que reconheceu instituições educacionais, incluindo três universidades historicamente negras.

Os seus programas incluem os cursos de  engenharia de petróleos, medicina e farmácia, bem como agronomia.

Na cidade de New Orleans, considerada a capital de indústria offshore nos EUA, estão sedeados os escritórios das maiores  companhias de petróleo e prestadores de serviços que operam no Golfo de águas profundas do México, e em outros territórios marítimos internacionais.

Na ocasião, o diplomata angolano agradeceu o gesto, e enfatizou que  no âmbito da cooperação bilateral entre Angola e os EUA, mais propriamente no domínio dos transportes, muito pode ser feito em termos de partilha de conhecimentos tendo citado como exemplo o porto de New Orleans.

Os participantes tiveram a oportunidade de ouvir o hino Nacional da República de Angola, em língua portuguesa, cantado por um jovem tenor, estudante universitário americano.

New Orleans é o centro portuário mais movimentado do Estados Unidos, e o quarto mais movimentado do mundo, graças à sua localização próxima ao Golfo do México e do Rio Mississippi, fazendo da cidade um pólo de conexão para produtos que são importados e exportados para o Canadá, África, América Latina e outros continentes.

Estima-se que, anualmente, cerca de 6 mil embacações e 500 milhões de toneladas de carga passam pelo rio Mississippi, o que representa mais da metade das exportações de grãos do país. Com essa altíssima taxa de tráfego, o Porto de New Orleans é visto como o princpal ponto do comércio fluvial americano.

Tem conexões directas com a bacia do rio Mississipi, que, somando-se aos cursos principais (rios Mississipi e Missouri) e os seus afluentes, somam cerca de 23 mil km de extensão, o que faz com que o mesmo seja a principal escolha para uma ampla gama de cargas, que incluem borracha, café, aço, e outras mercadorias produzidas ao longo do curso do rio.

O Porto de New Orleans é o único porto de águas profundas dos Estados Unidos servido por seis grandes ferrovias, traduzindo uma vantagem competitiva no custo do serviço ferroviário para os destinos de todo o país. Estes seis ferrovias estão ligadas pelo New Orleans Public Belt, uma espécie de confluência ferroviária de cerca de 60 km de extensão.

A indústria petrolífera contribui em grande medida para economia da cidade de New Orleans, no Estado de Lousiana, graças a vários postos de extracção de petróleo localizados próximos da mesma ao longo da Costa do Golfo.

New Orleans foi fundada em 1718 por colonos franceses com o nome de La Nouvelle-Orléans.