News & Announcements

13/12/2011: Enaltecido papel de Angola no continente africano

Enaltecido papel de Angola no continente africano
Luanda - A Federação Russa considera que Angola, sob o ponto de vista político, “é uma força chave” na região sub-sahariana disse, em Luanda, um enviado do Presidente russo, Dmitri Medvedev, à saída de um encontro
com o Presidente da República, José Eduardo dos Santos.
Este facto foi revelado pelo Representante Especial do Presidente da Federação Russa para a cooperação com os países africanos, Mikhail Margelov.
Para ele, “esta influência política tradicionalmente muito forte também está fortalecida pela força económica que Angola possui”.
Sobre a audiência, de cerca de 45 minutos, fez-se um balanço de tudo o que foi feito, no domínio do reforço da cooperação bilateral e da amizade entre os dois povos, depois do encontro mantido em Julho passado.
É de opinião que foram registados avanços, “de forma satisfatória” no que tange as finanças, economia e energia, para depois salientar que existem “muitos domínios de cooperação”, (…) é muito difícil enumerar todas as áreas onde nós cooperamos”.
O volume de negócios cifra-se actualmente em cem milhões de dólares, segundo revelou o interlocutor do Presidente José Eduardo dos Santos.
Reconhece que “não é grande” pois existe a possibilidade de se avançar, daí a razão da visita que o Presidente Dmitri Medvedev efectuou a Angola, em Junho de 2009. O fórum de negócios realizado em Novembro passado em Moscovo, sob a égide da parte angolana, asseverou Mikhail Margelov, “permitiu para a parte russa uma perfeita avaliação das oportunidades de investimento aqui em Angola”, disse.
Informou que a 16 de Dezembro do corrente ano o seu país irá organizar, na capital etíope, Addis-abeba, um fórum de negócios, Rússia-África, onde Angola se fará representar por uma delegação, sem no entanto especificar a
que nível.
Igualmente referiu-se ao papel desempenhado pelas autoridades angolanas no quadro da União Africana (UA) e da Organização das Nações Unidas (ONU), onde neste último organismo internacional, “nós temos um bom nível de
cooperação”.