News & Announcements

12/02/2015: África do Sul: Apresentadas oportunidades de investimento em Angola no sector mineiro

Ãfrica do Sul: Apresentadas oportunidades de investimento em Angola no sector mineiro

Cidade do Cabo (Da enviada especial) - As oportunidades de inve stimento no sector mineiro angolano foram apresentadas terça-feira , em Cape Town , África do Sul, durante um Forum econômico de investimento , pelo ministro da Geologia e Minas, Francisco Queiroz.

Ao apresentar o programa numa platéia que reuniu mais de cem expositores, empresários governantes e investidores de distintas partes do mundo ligadas ao sector mineiro, o governante angolano destacou o Plano Nacional de Geologia, Planageo, como um dos principais projectos que o governo de Angola desenvolve neste momento .

O Planageo que vai mudar a história geológica e mineira do pais nós próximos cinco anos, tem já uma parte coberta com sob vôos , uma vez que foram desenvolvidos cinco blocos nas três partes em que o pais foi dividido no âmbito do projecto. Por esta razão ja se está em condições de sentir que há um potencial muito grande de recursos minerais no pais.

Por este facto, até ao final do ano poder - se- a ter boas notícias em relação a este potencial.

O Planageo que representa um investimento de cerca de 405 milhões de dólares do governo de Angola, tem a duração de quatro anos, e um dos resultados provisórios esperados está ligado a actualizacao da carta topográfica de 1:100.000, cobrindo 81,8 porcento do território nacional.

Os resultados esperados estão ligados a elaboração de cartas geológicas e hidrogeograficas de minerais para a construção civil e minerais metálicos , bem como a construção de infra-estruturas de apoio a mineração como , portos, caminhos de ferro, energia elétrica, estradas e comunicação .

Francisco Queiroz referiu- se também aos resultados alcançados durante o ano de 2014 no sector mineiro, tendo adiantado que a produção de diamantes registou uma produção total de cerca de 8 milhões e 750 mil quilates, um preço de exportação na ordem de um milhão 308 mil e 138 dólares a um preço médio do quilate de 150 dólares.

A produção artesanal foi responsável pela comercialização de 934 milhões e 506 mil e 68 quilates, num valor total de 332 bilioes 202 milhões e 648 mil e 85 dólares, ao preço de médio de 355, 48 dólares o quilate.

Quanto as rochas ornamentais, a produção atingiu cerca de 49 milhões 216 mil e 42 metros cúbicos, enquanto as exportações chegaram a 29 milhões 380 mil e 644 metros cúbicos. O valor das vendas representou cerca de oito bilioes 661 milhões e 405 mil e 67 dólares.

No subsector de minerais para a construção civil ( inertes), a produção total foi de cinco bilioes 026 milhões e 220 mil e 46 metros cúbicos .

O ministro apontou também que o pais está aberto a investimentos no domínio dos ouro, cobre, ferro,metais básicos , platina, níquel, magnésio, mica, urânio, barite e semi- preciosas.

Francisco Queiroz sublinhou o projecto de Ferro de Kassinga está a sofrer uma pequena paralisação que está ligada ao mercado internacional do ferro que está em baixa. A China, apontou , que era um grande consumidor de aço reduziu muito a procura, um comportamento que se refletiu muito nós preços , tornando- os não competitivos.

Entretanto, referiu que este projecto e outros como o de ouro, fosfato e cobre estão a merecer atenção especial do Executivo.