Press Release

13/10/2014: TERMINAM REUNIÕES ANUAIS DE OUTONO DO BANCO MUNDIAL E DO FUNDO MONETÁRIO INTERNACIONAL

TERMINAM REUNIÃES ANUAIS DE OUTONO DO BANCO MUNDIAL E DO FUNDO MONETÃRIO INTERNACIONAL

Washington - A delegação do Governo angolano que participou em Washington, D.C., nas reuniões anuais de Outono do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Grupo Banco Mundial (GBM), que decorrem de 8 a 12 do corrente, chefiada por Armando Manuel, Ministro das Financas, deixou a capital federal dos EUA neste domingo (12), de regresso ao país.

À semelhança dos anos anteriores, no Outono, as Assembléias de Governadores do Fundo Monetário Internacional e do Grupo Banco Mundial realizam encontros para discutir uma série de questões relacionadas com a redução da pobreza, desenvolvimento económico e finanças internacionais.

Sob o lema desafios globais, as reuniões deste ano de 2014, proporcionam um fórum para a cooperação internacional e permitem que o FMI e o Banco Mundial possam  melhor servir os seus países-membros.

À margem do evento, o chefe da delegação Angolana, Armando Manuel, ministro das Finanças e Governador do Fundo Monetário Internacional para Angola,  manteve vários encontros, nomeadamente com o director-geral adjunto do Fundo Monetário Internacional (FMI), Naoyuki Shinohara, que recentemente visitou o nosso país, como o objectivo do reforço das relações de cooperação e para constatar os avanços de Angola na vertente da estabilidade económica e as reformas que o Governo angolano tem vindo a implementar.

No encontro foram abordados aspectos ligados à assistência técnica que o FMI está a conceder ao Executivo Angolano.

No mesmo, o ministro das Finanças Armando Manuel fez uma explanação sobre as últimas medidas da política macro-económica que foram tomadas pelo Governo angolano, mais propriamente no que diz respeito ao ajuste dos preços dos derivados de petróleo, com ênfase para o gás, gasóleo e asfalto de entre outros.

O dirigente Angolano, recebeu também em audiência, em Washington, Ngozi Okonjo-Iweala, ministra das Finanças da Nigéria. Ambos os responsáveis passaram em revista aspectos relacionados com a cooperação bilateral entre os dois países e à ascenção do nosso país á liderança do conselho executivo do Banco Mundial, na 25ª Constituência da qual faz igualmente parte para além de Angola e Nigéria, a África do Sul,

De recordar que ainda antes do final deste ano, Ana Dias Lourenço  que assume o assento reservado ao nosso país no Board do Banco Mundial, após um mandato de dois anos, no cargo de directora executiva suplente da 25.ª constituência, passará a ocupar uma posição substantiva, substituindo Mansur  Muhtar, antigo ministro das Finanças da Nigéria.

Assistiram ao encontro, Job Graça, Ministro do Planeamento e Desenvolvimento Territorial e Governador do Banco Mundial para Angola, Ricardo de Abreu, vice-governador do Banco Nacional de Angola e Ana Dias Lourenço, representante de Angola no Banco Mundial.

O chefe da delegação Angolana às reuniões anuais deste Outono de 2014, do FMI/Grupo Banco Mundial, igualmente manteve um encontro com o ministro de Estado da Guiné Conackry, Mohamed Diaré que considerou de excelentes as relações entre ambos os países. No encontro, o dirigente daquele país da África ocidental fez ao seu homólogo Angolano uma explanação sobre as medidas de prevenção que o governo do seu país tem estado a tomar para conter a epidemia do ébola, que já vitimou 648 pessoas dos 1.074 casos registados.

Neste evento internacional, a República de Angola assumiu a presidência do Instituto Macro-Económico, um processo rotativo. Esta é uma posição que decorre dos processos quantitativos do referido Instituto com o desafio de continuar a realizar o papel que o mesmo representa em África.

As reuniões anuais tradicionalmente são realizadas em Washington, a fim de reflectir sobre o caracter internacional das duas instituições de Bretton Woods.

Além dos encontros dos Conselhos de Governadores, Comissão de Desenvolvimento e do Comité Monetário e Financeiro Internacional (IMFC) são oficialmente convocados para o certame internacional, o Comité de Desenvolvimento e os Acessores dos Conselhos de Governadores sobre questões de interesse global, incluindo o Panorama Económico Mundial (World Economic Outlook), a erradicação da pobreza, desenvolvimento económico, e a eficácia da ajuda.

No contexto destas reuniões, o Banco Mundial e o FMI organizam uma série de fóruns para facilitar a interacção dos governos e funcionários do Banco Mundial e do FMI com as organizações da sociedade civil, jornalistas, executivos do sector privado, académicos e representantes de outras organizações internacionais, um esforço para garantir que as Reuniões Anuais possam ser  eficazes para explicar directamente aos participantes, através dos meios de comunicação social, as actividades, desafios e conquistas de ambas as instituições, com eventos ao vivo, uso das novas tecnologias de informação e outras plataformas.

Cerca de 10.000 pessoas participaram nas reuniões, sendo aproximadamente 3.500 integrantes das delegações dos países membros do Banco e do FMI, 1.000 representantes da imprensa, e mais de 5.000 visitantes e convidados especiais principalmente de empresas privadas, da comunidade bancária e ONGs. Além disso, os funcionários do Banco e do FMI presentes nas reuniões interagiram com os representantes das delegações governamentais.

A delegação Angolana ao certame, para além de outras actividades, participou na plenária subordinada ao tema Financiamento do desenvolvimento pós-2015 em prol de uma visão partilhada.

A próxima agenda pós-2015 será mais ambiciosa do que os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODMs). A nova agenda engloba conceitos sobre ambiente, sociais e sustentabilidade económica. A execução destes objectivos certamente irá exigir um financiamento que vai além dos recursos actuais, ao mesmo tempo que se prevê inovadora e inclusiva.

A plenária foi organizada em parceria com os bancos multilaterais de desenvolvimento, como parte do processo de preparação de um documento conjunto sobre as questões de financiamento do desenvolvimento.

A delegação Angolana integrou Job Graça, Ministro do Planeamento e Desenvolvimento Territorial, Leonel Silva, Secretário de Estado do Tesouro, Ricardo de Abreu, Vice-Governador do Banco Nacional de Angola, Artur Fortunato, Administrador Executivo do Fundo Soberano de Angola (FSDEA), representantes da Comissão do Mercado de Capitais (CMC), bem como técnicos superiores dos ministérios das Finanças e do Planeamento.