News & Announcements

22/09/2014: A 69ª Assembleia-Geral da ONU e o contexto mundial

A 69ª Assembleia-Geral da ONU e o contexto mundial

Nova Iorque - (Dos enviados especiais) - A cidade de Nova Iorque, Estados Unidos da América, como habitualmente, testemunha de 22 de Setembro a 3 de Outubro, os debates da Assembleia-Geral das Nações Unidas, desta feita na sua 69ª sessão, e cujo foco central estará no "Cumprimento e Implementação de uma Agenda de Desenvolvimento Transformadora Pós-2015".

Para este evento, onde a delegação angolana será chefiada pelo Vice-presidente da República, Manuel Domingos Vicente, encontram-se já em Nova Iorque os ministros das Relações Exteriores, Georges Chikoti, do Ambiente, Fátima Jardim, entre outros altos funcionários do Estado angolano.

Caracterizada por ser a maior tribuna mundial, na Assembleia-Geral das Nações Unidas convergem as lideranças de todos os quadrantes, sendo um momento de diferentes visões e formas de actuação para as
situações que afligem o mundo.

Nos dois primeiros dias (22 e 23), as atenções estarão viradas para a "Reunião Plenária de Alto Nível denominada Conferência sobre os Povos Indígenas", a "Sessão Especial sobre a População e Desenvolvimento" e a "Cimeira sobre o Clima".

A 69ª Sessão de debates da Assembleia-Geral das Nações Unidas terá como presidente o ministro das Relações Exteriores do Uganda, Sam Kutesa, cuja candidatura foi endossada pela União Africana, na base do princípio da rotatividade e representação local.

Nos bastidores da ONU, a diplomacia angolana aproveitará para consolidar ou reforçar também as alianças para um momento que seguirá e que tem a ver com a eleição de cinco novos membros não permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas, que terá lugar no dia 16 de Outubro.

Porém, o contexto mundial na actualidade está a ser marcado por assuntos como as crises na Síria, Iraque, Líbia, Nigéria e outros, onde o crescimento dos movimentos extremistas islâmicos tem sido um facto, pondo em causa a estabilidade mundial.

De igual modo, as intervenções sobre temas como a crise na Ucrânia e as consequência da subida da tensão entre a Rússia e a União Europeia, a estabilidade na região dos Grandes Lagos, a actuação e contenção de situações como o Ébola (doença que se tem espalhado perigosamente por vários países africanos), merecerá também referências de distintas personalidades.

Por este motivo, e atendendo também à sensibilidade dos assuntos que estarão em evidência, tem sido cada vez mais apertados os sistemas de segurança em Nova Iorque, com mais incidência no quarteirão das Nações Unidas, que por estes dias receberá a atenção de milhares de pessoas de todo o mundo.

Com 193 Estados membros, a Organização das Nações Unidas foi fundada em 1945 após a Segunda Guerra Mundial para substituir a Liga das Nações, com o objectivo de deter guerra entre países e para fornecer uma plataforma para o diálogo.

A ONU é uma organização internacional cujo objectivo declarado é facilitar a cooperação em matéria de direito internacional, segurança internacional, desenvolvimento económico, progresso social, direitos humanos e a realização da paz mundial.

Actualmente ela conta com várias organizações subsidiárias para realizar as suas missões.