News & Announcements

11/09/2014: Presidente da República aborda situação nos Grandes Lagos com enviado da ONU

Presidente da República aborda situação nos Grandes Lagos com enviado da ONU

Luanda - O Presidente da República, José Eduardo dos Santos, abordou nesta quarta-feira, em Luanda, com o enviado especial do secretário-geral das Nações Unidas para a região dos Grandes Lagos, Sid Djinnit, assuntos candentes relativos à estabilidade político-militar nesta zona do continente africano.

O diplomata, de nacionalidade argelina, recebido em audiência no Palácio Presidencial, explicou, à imprensa, no termo do encontro, que "veio pedir conselhos" ao mais alto mandatário da Nação angolana, na qualidade de Presidente em exercício da Conferência Internacional para a Região dos Grandes Lagos (CIRGL).

"É importante sondar a opinião e os sentimentos dos líderes desta região, porque as Nações Unidas fazem questão de continuar a reforçar o seu trabalho, em busca da paz para a República Democrática do Congo, República Centro Africana e Sudão do Sul", comentou Sid Djinnit, também secretário-geral adjunto da ONU.

Frisou que, ao Presidente José Eduardo dos Santos, transmitiu a intenção de trabalhar estreitamente com ele e demais dirigentes do país, com vista ao alcance de resultados satisfatórios, mormente a normalização da situação sócio-política na região.

Said Djinnit manifestou-se agradado com o dinamismo demonstrado pela liderança angolana, em relação a resolução da situação de instabilidade politíco-militar ainda reinante nos Grandes Lagos.

"Em nome do secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, felicitei o líder angolano pelos esforços encetados para o alcance da paz na região, ao mesmo tempo que reiterei a vontade da ONU de prosseguir este trabalho, em estreita colaboração", exprimiu o diplomata, recentemente nomeado enviado especial do SG da ONU para os Grandes Lagos.

Said Djinnit afirmou ter aproveitado esta sua primeira visita à Luanda para contactos com distintas autoridades angolanas, cuja presidência da CIRGL tem contribuído para dar passos concretos para a estabilização da sub-região africana.

A República de Angola assume, desde Janeiro deste ano, a presidência rotativa da CIRGL, organismo criado após os conflitos registados na zona dos Grandes Lagos, em 1994, cujo resultado marcou o reconhecimento da sua dimensão e a necessidade de um esforço concentrado, com vista a promoção da paz e o desenvolvimento na região e de África, na sua generalidade.