News & Announcements

10/09/2014: PR aborda com comissário da UA segurança nos Grandes Lagos

PR aborda com comissário da UA segurança nos Grandes Lagos

Luanda - O Presidente da República, José Eduardo dos Santos, analisou nesta terça-feira (9), em Luanda, com o comissário da União Africana para a Paz e Segurança, Smail Chergui, a implementação de medidas para pacificar a Região dos Grandes Lagos e o Continente africano, face aos conflitos armados que ainda persistem.

Em declarações à imprensa, no final do encontro com o Chefe de Estado angolano, no Palácio Presidencial, o diplomata revelou que estiveram em análise aspectos relacionados à situação na República Centro Africana (RCA), República Democrática do Congo (RDC), Líbia e Sudão do Sul.

Afirmou que a pacificação completa nos Grandes Lagos será fundamental para assegurar a paz e estabilidade em outros países em conflito em todo Continente.

"Vim a Angola escutar as análises e os pontos de vista do Presidente José Eduardo dos Santos sobre a situação na região e em outras zonas de África, pelo facto de Angola assumir a presidência da Conferência Internacional para a Região dos Grandes Lagos (CIRGL)", exprimiu.

Quanto a questão na RDC, Smail Chergui afirmou que já se encontrou uma solução para as forças do movimento armado M-23, mas há que solucionar a relacionada com tropas da Frente Democrática de Libertação do Rwanda (FDLR), que estão a causar situações difíceis no leste da República Democrática do Congo.

Para o caso deste segundo movimento armado (FDLR), manifestou-se optimista quanto a solução de reintegração dos seus elementos, pois existe engajamento das autoridades angolanas que já realizaram duas cimeiras de Chefes de Estados da região e outra a nível ministerial, em Luanda, para solucionar o caso.

"A CIRGL sob liderança do Chefe de Estado Angolano poderá encontrar uma solução para a situação ainda existente no leste da RDC",  ressaltou o Comissário da União Africana, que se encontra na capital do país para contactos com as autoridades locais.

Lembrou que a FDLR tem um prazo, para integração dos seus membros, adoptado na última reunião de lideres da CIRGL, e neste sentido têm sido apelados os integrantes do grupo armado à abraçar a causa da paz.

"Estamos engajados para que a data seja a última e é uma oportunidade que nós damos, porque não queremos enveredar pelo caminho do recurso à força", acrescentou.

A audiência foi assistida pelo ministro das Relações Exteriores de Angola, Georges Rebelo Chikoti.

A República de Angola assume, desde Janeiro deste ano, a presidência rotativa da CIRGL, organismo criado após os conflitos registados na zona dos Grandes Lagos, em 1994, cujo resultado marcou o reconhecimento da sua dimensão e a necessidade de um esforço concentrado, com vista a promoção da paz e o desenvolvimento na região e em África, na sua generalidade.