News & Announcements

10/08/2014: EUA: Ministro das Relações Exteriores inaugura consulado de Angola em Los Ange

EUA: Ministro das Relações Exteriores inaugura consulado de Angola em Los Ange

Los Angeles (Dos Enviados Especiais) - O ministro angolano das Relações Exteriores, Georges Rebelo Pinto Chicoty, inaugurou, sexta-feira, em Los Angeles, Estados Unidos da América (EUA), as instalações onde vão funcionar os serviços consulares da República de Angola, nesta cidade.

Cumprida a formalidade protocolar do corte da fita, seguida de uma oração de bênção, feita por um missionário americano, Georges Chicoti visitou algumas áreas das instalações e recebeu informações de como será efectuada a prestação de serviços do consulado aos cidadãos angolanos residentes e de norte-americanos, em caso dos mesmos solicitarem pedidos para fins de negócios ou turismo.

O ministro das Relações Exteriores, Georges Rebelo Chikoti, considerou em Los Angeles, que a abertura do Consulado de Angola revela a importância que o Governo Angolano atribui ao volume de negócios e a interacção que mantém com a comunidade angolana na diáspora.

O  governante fez este pronunciamento quando falava numa cerimónia que juntou diplomatas e outras figuras ligadas ao mundo de negócios dos EUA e de Angola, após ter inaugurado o Consulado Geral de Angola em Los Angeles.

Georges  Chikoti referiu que a abertura deste consulado ocorre num momento em que os EUA e a África realizaram a sua primeira Cimeira, em Washington de 5 a 6 do corrente mês, onde foi reconhecida a importância do volume de negócios que se pode desenvolver entre os EUA e o continente Africano.

O Governo de Angola e dos EUA, a margem da Cimeira assinaram um Memorando de Entendimento com o Exxim Bank", recordou o governante, para quem este consulado vai, certamente, aproximar cada vez mais os dois povos e países, com o objectivo da expansão dos laços comerciais, bem como promover oportunidades de negócios e investimento entre ambos os países",  ressaltou.

Destacou que Angola é um país com uma economia estável, e que o seu Governo, chefiado pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos, trabalha para criar a estabilidade macro - económica, atrair o investimento internacional e promover o crescimento.

Georges Chikoti admitiu que Angola está pronta para continuar o seu crescimento e estabelecer a sua posição como principal economia, devido a contínua expansão e diversificação no mercado não petrolífero.

Comentou que o intercâmbio e o fortalecimento das relações de amizade e de cooperação nos diferentes domínios, nomeadamente, comércio, tecnologias de informação e comunicação, educação, energia, turismo, agricultura entre outros, serão considerados os pilares essenciais para a construção de uma relação sólida e profícua entre Angola e os EUA.

Ao terminar a sua locução, o ministro dedicou a equipa de diplomatas do novo Consulado, empenho e dedicação nas actividades laborarias que lhes estão acometidas, promovendo o espírito e a cultura de proximidade ao cidadão da diáspora, em prol dos interesses do Estado angolano.

A República de Angola e os Estados Unidos da América estabeleceram relações diplomáticas em Maio de 1993, data que marcou uma nova era entre os dois países, assentes no respeito mútuo e na defesa de interesses comuns.

Transcorridos mais de 20 anos, as relações diplomáticas entre ambos países reflectem-se no volume de negócios, cujas transacções crescem, significativamente, sem contar com os grandes investimentos de empresas norte-americanas em Angola, principalmente nos sectores dos petróleos e gás.

O ministro Georges Chikoti, que deve regressou a Angola sábado (9), integrou a delegação angolana, chefiada pelo Vice-presidente da República, Manuel Vicente, que participou na Cimeira Estados Unidos da América/África, organizada pela administração norte-americana.

Ainda por ocasião da inauguração do novo e terceiro Consulado Geral de Angola nos EUA, o Cônsul Geral, Martinho Bashi Codo, disse que a instituição, situada em Los Angeles, vai cobrir 14 Estados, de acordo com a sua area de jurisdicao, na Costa Oeste dos EUA,  onde estão identificados  mais de  2500 angolanos que vivem na  região desde 1974,  que doravante  poderão fazer os seus registos ou obter documentos nacionais.

De acordo com o diplomata angolano, o consulado terá também a tarefa de conceder vistos de entrada para Angola a cidadãos norte-americanos que eventualmente manifestarem a intenção de visitar o país.

A congressista democrata representante do 37º distrito de Califórnia e membro do Comité de Relações Exteriores, a americana Karen  Bass, considerou o momento "bastante importante", pois, segundo afirmou, trabalhou durante  40 anos a apoiar  a causa  de libertação de Angola do regime colonial.

"Nós tínhamos aqui em Los Angeles  um importante  movimento activo  que não só defendeu a causa angolana como também lutou contra o regime do apartheid na Africa do Sul", recordou.

Testemunharam o acto o embaixador de Angola nos EUA, Alberto Ribeiro, representantes da Embaixada de Angola nos EUA bem como dos consulados gerais de Angola em Houston/Texas e Nova Iorque, entre outros convidados.