News & Announcements

10/08/2014: Traficantes de pessoas usam formas de coerção

Traficantes de pessoas usam formas de coerção

Luanda - A oficial de Programas da Organização Internacional de Migrações (OIM), Lerena Pinto, considerou o tráfico de pessoas como o recrutamento, transporte, transferência, abrigo ou o recebimento de pessoas, por meio de ameaça ou uso de força ou por quaisquer outras formas de coerção.

A responsável fez este pronunciamento ao abordar o tema " Tráfico de Seres Humanos e suas consequências" tendo apontado igualmente o rapto, fraude, indução em erro (decepção, engano), abuso de autoridade ou de uma posição de vulnerabilidade como outras formas de recrutamento.

De acordo com Lerena Pinto o dar ou receber pagamentos ou benefícios para obter o consentimento para uma pessoa ter controlo sobre outra pessoa, para o propósito de exploração, também têm sido formas utilizadas pelos traficantes de seres humanos.

A fonte explicou que a exploração a que são sujeitas as vítimas do tráfico de pessoas, que na sua maioria são mulheres entre os 17 e 25 anos, inclui, no mínimo, a exploração da prostituição e de outras formas de exploração sexual, trabalho ou serviços forçados, escravatura, servidão ou práticas semelhantes à escravatura, servidão ou a remoção de órgãos.

Definiu o tráfico de pessoas como o consentimento de uma vítima para fins de exploração, conforme previsto no Protocolo de Palermo.

Realçou que a exploração da prostituição de outrem, ou outras formas de exploração sexual, trabalho ou serviços forçados, escravatura ou práticas análogas à escravidão, servidão ou a remoção de órgãos, constituem os métodos utilizados pelos traficantes de  pessoas.

Explicou que a exploração sexual é levada a cabo nas ruas, centros de massagens, bares, bordéis, saunas, agências de acompanhamento.

Os serviços ou trabalho forçado  é efectuado na agricultura, pescas, construção civil, minas, as quais já tem como vitimas homens que procuram melhores condições sociais.

Lerena Pinto apontou igualmente a servidão doméstica, mendicidade e vendedores ambulantes, serviço militar forçado e a remoção de órgãos.

Com o fito de levarem a cabo  os seus objectivos e para manterem o controlo sob as vitimas os traficantes adoptam mecanismos diversos com destaque para a desorientação da vítima, retenção dos documentos, servidão por dívida, isolamento, abuso físico, violência física e retaliação contra as famílias.