News & Announcements

07/06/2014: Presidente dos Santos apela à Comunidade Internacional para reforço da ajuda humanitária à RCA

Presidente dos Santos apela à Comunidade Internacional para reforço da ajuda humanitária à RCA

Luanda - O Chefe de Estado de Angola e Presidente em exercício da Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos, José Eduardo dos Santos, apelou nesta sexta-feira, em Luanda, à comunidade internacional, e a ONU, em particular, no sentido de reforçar a sua ajuda humanitária às populações da República Centro-Africana (RCA) e o envio, o mais depressa possível, das forças de manutenção de paz aprovada em resolução do Conselho de Segurança.

José Eduardo dos Santos discursava na Cimeira Tripartida com os seus homólogos do Tchad e do Congo, respectivamente, Idriss Déby Into, e Denis Sassou Nguesso, convocada para avaliar medidas para o reforço da segurança na RCA.

Na sua intervenção, saudou a presença das forças da MISCA, que têm ajudado o governo de transição a combater as forças negativas e superar os focos de instabilidade, com vista ao restabelecimento da paz e ordem pública na RCA, assim como as forças francesas que, conjuntamente, actuam no mesmo sentido.

Afirmou que, no plano bilateral, o governo angolano estabeleceu entendimentos com o governo de transição deste país a fim de o ajudar a repor a administração pública, o sistema de defesa,  segurança, ordem pública e outras instituições do Estado.

José Eduardo dos Santos pediu igualmente, aos países da Comunidade Económica da África Central, a concertação dos seus esforços para ajudar a RCA a superar os problemas nestes domínios.

Por outro lado, disse acolher com "muita satisfação" o interesse do governo de transição deste país em promover um fórum abrangente sobre a reconciliação nacional,

Neste sentido, destacou o apoio da CEEAC ao fórum sobre reconciliação nacional, por ser consensual a ideia de que o diálogo, a negociação e a inclusão política e social são a melhor via para a procura de  soluções para pôr fim aos conflitos.

"Os caminhos que devemos trilhar para ultrapassar as contradições existentes são os da paz,  da unidade nacional,  da reconciliação,  do direito à diferença,  da justiça e do desenvolvimento económico e social inclusivo", rematou o Chefe de Estado angolano.