News & Announcements

19/05/2014: Ministro José Van-Dúnem preside cerimónia de abertura da 67ª Assembleia Mundial de Saúde

Ministro José Van-Dúnem preside cerimónia de abertura da 67ª Assembleia Mundial de Saúde

Genebra - O ministro angolano da Saúde, José Van-dúnem, presidiu na manhã de hoje, segunda-feira, em Genebra (Suíça), à 67ª Assembleia Mundial da Saúde, no Palácio das Nações.

O governante orientou o acto na qualidade de primeiro-vice-presidente cessante da Assembleia anterior. Para presidir a Reunião da Organização Mundial da Saúde deste ano foi eleito o ministro cubano, Roberto Morales.

Durante a reunião, que conta com a participação de mais de três mil delegados, serão discutidas as principais questões de saúde global e incluirá decisões ligadas aos esforços para prevenir e controlar as doenças não-transmissíveis, como diabetes, doenças cardíacas, câncer e doença pulmonar crónica; uma nova estratégia na luta contra a tuberculose mundial e propostas para melhorar a saúde de pacientes com hepatite viral.

A reunião vai abordar questões sobre o progresso no âmbito da estratégia para a nutrição da mãe e da criança; os progressos realizados no sentido de alcançar os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio e do papel da Saúde na agenda de desenvolvimento pós-2015, bem como as formas de combater a resistência aos medicamentos antimicrobianos e a protecção de um número maior de pessoas contra as doenças evitáveis por vacinação.

Os delegados vão discutir o processo de reforma da Organização Mundial da Saúde  (OMS).

A directora  Geral da OMS, Margaret Chan, vai discursar no período da tarde. Os intervenientes da sessão de abertura focalizaram os seus pronunciamentos nas mudanças climáticas, como sendo uma realidade e os seus efeitos nocivos para a saúde.

A anteceder a cerimónia de abertura da 67ª Assembleia Mundial da Saúde, os ministros africanos reuniram-se para analisar a declaração do grupo continental.

A acção da OMS está direccionada, entre outras, para a protecção da saúde da populações, com realce para os mais pobres, proteger as pessoas contra a doença e responder a situações de emergência para a Saúde Pública.