News & Announcements

04/11/2011: MAT quer evitar urnas especiais nas eleições de 2012

MAT quer evitar urnas especiais nas eleições de 2012
Luena - O Ministério da Administração do Território (MAT) quer que a sociedade civil e os órgãos de comunicação social acelerem o processo de sensibilização e mobilização da população para actualizarem os dados eleitorais e evitar que maior número da população vote em urnas especiais nas eleições de 2012.
 
Segundo o director nacional das eleições, Agostinho Miguel Lima, em 2008 "boa parte da população" votou em urnas especiais devido à fraca informação e sensibilização sobre a importância dos cidadãos actualizarem os dados eleitorais para saber o local e assembleia do voto.
 
"Este ano queremos maior intervenção dos partidos políticos, sociedade civil e principalmente os órgãos de comunicação social a aprofundar a difusão da sensibilização e mobilização da população a actualizar os seus dados eleitorais, numa altura em que estamos a um mês do seu termo", lembrou.
 
Referiu que os órgãos de comunicação social são os principais parceiros do Executivo angolano desde a sensibilização, mobilização e esclarecimento da importância do registo eleitoral, através de programas que retratam o processo, até a realização das eleições gerais previstas para o terceiro trimestre de 2012.
 
"As urnas especiais são reservadas às pessoas que não tenham, no momento das eleições, o local de voto definido, mas nós queremos evitar isto por causar muitos constrangimentos", disse.
 
Sugeriu que a Televisão Pública de Angola (TPA) e a Rádio Nacional de Angola (RNA) criem mais programas de sensibilização não só a nível nacional, mas também a nível local para que o processo de disseminação da informação sobre o registo eleitoral seja cada vez mais abrangente.
 
Para o Jornal de Angola (JA) e a ANGOP, pela sua abrangência, recomendou a retratarem com frequência matérias ligadas ao processo, mas de forma clara e responsável para que a população se informe melhor da importância do processo.
 
Aos órgãos de comunicação social privados foi-lhes solicitado a reserva de espaços em que possam dar ênfase ao esclarecimento do registo eleitoral às populações.