News & Announcements

29/04/2014: França: Presidente da República exorta empresários franceses a investirem em Angola

França: Presidente da República exorta empresários franceses a investirem em Angola

Paris (Dos enviados especiais) - O Presidente da República, José Eduardo dos Santos, exortou nesta terça-feira, em Paris, aos empresários franceses a investirem em Angola em parceria mutuamente vantajosa para os dois países.

Segundo o estadista angolano, que falava num encontro com empresários franceses, a aposta visa tirar partido do imenso potencial económico e do quadro político, institucional e legal angolano favorável ao investimento.

"Consideramos de suma importância que na posição de investidores estrangeiros estabeleçam com investidores angolanos verdadeiras parcerias com benefícios recíprocos, envolvendo, além da aplicação de capitais, transferências de conhecimentos, tecnologias e cruzamentos de participação", sublinhou.

Disse contar com a capacidade e recursos dos investidores franceses para diversificar e industrializar ainda mais a economia angolana e para combater as assimetrias regionais, o desemprego e a baixa qualificação técnica e profissional.

Afirmou que Angola pretende alargar a cooperação com a França e as potencialidades em recursos naturais constituem um factor importante para o exercício da actividade económica nos sectores primário e secundário.

Realçou além desses recursos, existe também um clima favorável ao investimento e ao crescimento económico.

Como é do vosso conhecimento, frisou, desde 2002 vive-se em Angola uma situação de paz e de estabilidade política e social.

Precisou que o Governo angolano também tem executado com sucesso o seu programa de reformas económicas, que assenta em dois pilares essenciais.

Detalhou que esses pilares são por um lado, a consolidação da estabilidade macroeconómica, com destaque para o controlo da inflação. Por outro lado, um ambicioso programa de investimento público de reabilitação, modernização e expansão das infra-estruturas no domínio da educação, saúde, habitação social, saneamento básico, transportes rodoviários, ferroviários, dos portos, aeroportos, da energia e águas.

Informou tratar-se de um programa financiado pelo Estado angolano, mas que não exclui a participação do sector privado.

Explicou que as empreitadas de obras públicas são normalmente realizadas por empresas privadas, através de concursos públicos, e há empresas francesas, por enquanto poucas, que neles têm participado.

"Neste domínio não excluímos a possibilidade de parcerias público/privadas", ressaltou o Presidente, José Eduardo dos Santos, a uma plateia composta por mais de 80 empresários.

Sublinhou estar em curso no país importantes reformas legais e instituições, que visam o reforço da certeza e segurança jurídicas dos negócios, dos incentivos aduaneiros e fiscais bem como o tratamento célere e desburocratizado das instituições de investimento de empresas privadas.

Em Angola, reforçou, está igualmente em curso a construção de um sistema financeiro moderno, diversificado e sólido, capaz de captar e remunerar adequadamente a poupança pública e privada existente e de canalizar para o financiamento da economia.

Ainda terça-feira, o Presidente da República participou num jantar, na Embaixada de Angola, com os representantes diplomáticos de países africanos acreditados em França.

Tratou-se do último encontro oficial do estadista angolano, no quadro da visita de 48 horas à França.

Nesta quarta-feira (29), o estadista angolano deixou a capital francesa rumo ao Estado do Vaticano (Santa Sé).