News & Announcements

31/10/2011: Georges Chicoti defende unidade e coesão na estrutura directiva do pelouro

Georges Chicoti defende unidade e coesão na estrutura directiva do pelouro

Luanda - O ministro das Relações Exteriores, Georges Chicoti, defendeu em Luanda, a unidade e coesão na estrutura directiva do ministério para a resolução dos problemas que se colocam às direcções.

O governante falava na cerimónia de tomada de posse de novos directores da instituição, referindo que isto visa dar continuidade ao programa de reformas do Ministério das Relações Exteriores, iniciado há já algumas semanas.

 Frisou igualmente que ela corresponde as recomendações do Conselho Consultivo Alargado da instituição.

 Acrescentou que estas visam ainda dar resposta às expectativas criadas para com este ministério durante o Conselho Consultivo Alargado.

 O ministro pediu aos directores recém-empossados no sentido de passarem directamente ao trabalho nas suas respectivas áreas, que são chaves para o Ministério das Relações Exteriores.

 Referiu, a título de exemplo, o Instituto das Comunidades e Políticas Migratórias, onde existem desafios muito pertinentes como pôr ordem na casa, fazer com que haja um bom tratamento dos documentos, passaportes e vistos.

 No sentido ainda, disse o ministro, de que não continuem a aparecer vistos roubados, mal dados ou desviados.

 Adiantou também que se quer que haja ordem, mas sobretudo um bom tratamento da comunidade no exterior, providenciando os documentos necessários, reduzindo a burocracia, mas ao mesmo tempo aumentando a eficiência e segurança no trabalho e tratamento dos assuntos.

 "Queremos que o cidadão angolano acabe por ser o beneficiário de todas estas reformas que estamos a efectuar no ministério, recomendações que foram dadas no Conselho Consultivo Alargado", disse.

 Já em relação aos tratados, frisou o ministro, a mesma deverá funcionar cada vez melhor, uma vez que existem muitos tratados a concluir com vários países e precisam não só do aumento do pessoal, mas também celeridade na conclusão dos muitos acordos que têm de ser concluídos com vários países.

 Na área do protocolo, explicou que estão agora a reforçá-la com um novo director adjunto no sentido de uma maior eficiência.  "A área do protocolo será capital nos próximos tempos, uma vez que está em curso um programa para melhor atendimento no seu relacionamento com os países que estão acreditados em Angola", explicou.

 Tomaram posse Mário Azevedo Constantino, para o cargo de director dos Assuntos Jurídicos, Tratados e Contencioso, Francisco Correia (director do Instituto das Comunidades e Políticas Migratórias), João Fortunato Passela (director Adjunto do Instituto das Comunidades e Politicas Migratórias) e João Viegas (director Adjunto do Protocolo de Estado no Mirex).