News & Announcements

17/03/2014: Suíça: Iniciou 130ª Assembleia da UIP em Genebra

Suíça: Iniciou 130ª Assembleia da UIP em Genebra

Genebra (Do enviado especial) - O presidente da União Inter-parlamentar (UIP), Abdelwahad Radi, afirmou nesta segunda-feira, em Genebra, Suíça, que a democracia é o melhor sistema político à disposição dos estados e instou os países membros a aproximarem-se da cidadania.

Ao intervir no acto de abertura oficial da 130ª Assembleia da União Inter-parlamentar, o responsável sustentou que o Mundo já experimentou diversos sistemas políticos, mas "há finalmente um amplo consenso sobre a ideia de que a democracia é o melhor sistema de governação".

Segundo o parlamentar, que discursava esta manhã perante mais de 200 delegados, no Centro Internacional de Conferências de Genebra, é importante que a democracia nasça em cada país e se adapte as realidades nacionais.

"Existe um amplo consenso em torno da ideia de que, por muito imperfeita que seja, a democracia é o melhor sistema de que dispomos. Para um bom funcionamento da mesma, deve nascer no país em que se está a exercer e deve estar adaptada as realidades nacionais", reforçou.

Abdelwahad Radi sublinhou que, independentemente da sua forma, há algo seguro neste sistema de governo, daí não poder "haver democracia sem Parlamentos e  Parlamentos sem democracia".

Explicou que a UIP criou um fórum de experimentação política para os Parlamentos membros, que trabalha para divulgar os conhecimentos da cultura parlamentar e fortalecer as capacidades dos deputados, a fim de exercerem plenamente a sua função de legislar, controlar e representar.

Assim, instou os Parlamentos nacionais a adaptarem-se aos novos tempos e melhorarem eventuais lacunas  em termos de democracia e cidadania.

"A UIP insta os Parlamentos a aproximarem-se da cidadania, trabalharem para corrigir as suas debilidades, dando maior espaço às mulheres e tendo em conta as suas necessidades  e opiniões", recomendou o parlamentar.

Referiu, por outro lado, que actualmente muitos problemas persistem em todo Mundo e a Assembleia da UIP deve aproveitar este momento para analisá-los, sobretudo buscando soluções para uma Terra sem armas nucleares.

Disse que o encontro vai discutir também a questão do desenvolvimento e dos riscos ligados a revolução demográfica, às catástrofes naturais, ao problema das crianças, em particular dos petizes migrantes.

"Estimados colegas! Reunimo-nos num momento em que o multilateralismo e a democracia estão submetidos a duras provas. Prova disso são as solicitações para incluir numerosos pontos de urgência para debate", declarou.

Encorajou os delegados a discutirem os assuntos com serenidade, pois não fazer algo "seria faltar com o seu dever", enquanto "assembleia memorável".

"Celebremos o que se alcançou há 625 anos, mas  permaneçamos alerta e conscientes de tudo que temos de conseguir", concluiu.

Por sua vez, o director geral dos Escritórios da ONU em Genebra, Michael Moller, considerou necessário que os Parlamentos ajudem a cimentar a paz e proteger os direitos humanos, em todo Mundo.

"Vocês os deputados têm um papel fundamental para explicar o impacto das actividades das Nações Unidas na vida diária dos seus cidadãos", exprimiu o diplomata, numa sessão que serviu para homenagear o  secretário-geral cessante da UIP, Anders Johnson.

Encorajou os parlamentares a apoiarem estes esforços, sobretudo em épocas difíceis, porquanto a democracia é fundamental para o progresso das Nações.

Considerou importante que a UIP fomente a participação internacional dos Parlamentos, tendo anunciado que o secretário-geral da ONU apresentará o seu relatório, de 2014, sobre a interacção entre os Parlamentos da UIP e a ONU.

Os trabalhos da 130ª Assembleia da União Inter-parlamentar prosseguem no período da tarde, em que vai intervir o Presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos, chefe da delegação angolana.

A comitiva angolana está dividida em várias comissões de trabalho, que participam no Fórum dos Jovens Parlamentares, na reunião dos Secretários-gerais da UIP e do Grupo de Mulheres Parlamentares da UIP.