News & Announcements

25/02/2014: Executivo angolano constitui primeiro impulsionador do processo de desminagem

Executivo angolano constitui primeiro impulsionador do processo de desminagem

Luanda - O Executivo angolano foi o primeiro impulsionador do processo de desminagem no país, com a criação do Instituto Nacional de Desminagem (INAD) uma instituição pública sob a tutela do Ministério da Assistência e Reintegração Social (MINARS), responsável pela execução das operações de desminagem em Angola.

A afirmação é do director-geral do INAD, Leonardo Severino Sapalo, que falava à Angop, sobre a desminagem em Angola, referindo que, apoiam também o país, no referido processo, doadores que financiam as ONGs de acção de minas no território.

Paralelamente a estas, referiu, existem também alguns países que cooperam com Angola no domínio da acção de minas, designadamente da União Europeia e os Estados Unidos da América, alocando recursos para que haja efectivação de operadores de desminagem.

Por outro lado, frisou que o ano transacto foi de êxitos para o INAD, no domínio da desminagem, devido as metas que foram cumpridas no quadro do plano nacional de desenvolvimento.

"O ano foi produtivo, pois foram cumpridas as missões incumbidas. Estivemos também envolvidos com muita abrangência no projecto do traçado de energia Soyo - Capari, que poderá depois da sua aplicabilidade, trazer muitos benefícios na região", disse.

Para este processo no país, após longo período de guerra fratricida, o Executivo angolano criou também a Comissão Nacional Inter - Sectorial de Desminagem e Assistência Humanitária (CNIDAH), um organismo que responde directamente perante o Conselho de Ministros e é responsável pela coordenação, planeamento e organização de todas as operações de desminagem.

Foi também criada posteriormente, a Comissão Executiva de Desminagem (CED), sob tutela do Ministério da Assistência e Reintegração Social, para a gestão efectiva das operações de desminagem das Forças Armadas Angolanas (FAA), do Gabinete para a Reconstrução Nacional (GRN) e do INAD.