News & Announcements

08/01/2014: PR envia mensagem a homólogos de Moçambique e Portugal

PR envia mensagem a homólogos de Moçambique e Portugal
"Com muita tristeza, tomamos conhecimento do passamento físico de Eusébio da Silva Ferreira, um ilustre filho de Moçambique que se tornou numa das maiores referências do futebol mundial e cujo talento e qualidades encantaram durante décadas, milhares de adeptos e amantes do mundo desportivo", escreveu o estadista angolano para Armando Guebuza.

 

Na missiva a que a Angop teve hoje, terça-feira, acesso de fonte oficial, José Eduardo dos Santos refere que "por tão infausto acontecimento, em nome do povo angolano e no meu próprio, apresento à Vossa Excelência e ao povo moçambicano, as mais sentidas condolências".

Ao Presidente Anibal Cavaco Silva, o líder angolano diz que "Com muita tristeza, tomamos conhecimento do desaparecimento súbito daquele que em vida foi um dos expoentes máximos do futebol mundial, Eusébio da Silva Ferreira".

Na missiva, José Eduardo dos Santos refere que durante décadas, o seu talento de futebolista exímio e as suas qualidades humanas encantaram milhares de seguidores e adeptos de todo o mundo.

"Nesta hora de comoção para o povo português devido ao seu desaparecimento físico, apresento à Vossa Excelência, ao Governo e ao povo de Portugal, em nome do Governo angolano e no meu próprio, os mais sentidos pêsames que peço transmitir à família enlutada", precisou.

Eusébio, 71 anos, ex-avançado encarnado morreu na madrugada de domingo, às 4h30, em Lisboa, vítima de paragem cardio-respiratória. Eusébio da Silva Ferreira, nascido em 25 de Janeiro de 1942 na cidade de Lourenço Marques, actual Maputo, tornou-se no maior símbolo do futebol português.

Chegou ao clube de Lisboa em 1960. Foi nessa década que o "Pantera Negra" mais brilhou nos relvados, no Benfica e na selecção de Portugal, no Mundial de 1966, onde foi o melhor marcador.

Sete vezes melhor goleador do campeonato português (1963/64, 64/65, 65/66, 66/67, 67/68, 69/70 e 72/73), duas vezes melhor marcador europeu (1967/68 e 72/73), Eusébio, que foi uma vez eleito melhor futebolista europeu, é considerado um dos maiores jogadores mundiais de todos os tempos.

De pai com origem angolana (Malanje), Eusébio, que foi 11 vezes campeão nacional pelo Benfica, alinhou em 294 jogos, durante os quais marcou 316 golos, ganhou cinco Taças de Portugal, foi campeão europeu em 1961/62 e finalista da Taça dos Campeões em 1962/63 e 67/68.

Jogou no Benfica até 1975, tendo depois actuado ainda em clubes da América do Norte, no Beira-Mar e na União de Tomar. Após esta breve experiência, que durou até Março de 1978, regressou aos Estados Unidos. Pela selecção de Portugal, pela qual se estreou em 8 de Outubro de 1961, participou em 64 jogos.

No Mundial de 1966, em Inglaterra, no qual Portugal foi o terceiro classificado, venceu o troféu destinado ao melhor marcador da prova, com nove golos, e foi considerado o melhor jogador da competição.

A sua actuação no jogo com a Coreia do Norte, dos quartos-de-final, em que marcou quatro golos, contribuindo decisivamente para a vitória de Portugal por 5-3, depois ter estado a perder por 0-3, ainda hoje é recordada. "Foi o meu dia", recordou mais tarde, quando, no Mundial de 2010, na África do Sul, a equipa portuguesa voltou a defrontar a asiática.