News & Announcements

04/10/2011: Campanha anti-pólio beneficia de doação da Esso

Campanha anti-pólio beneficia de doação da Esso
Luanda - Seis viaturas e vinte e cinco motorizadas foram doadas hoje, terça-feira, em Luanda, ao Ministério da Saúde (Minsa) pela empresa petrolífera Esso (Bloco 15) em parceria com a Cruz Vermelha, por forma a apoiar a campanha do governo para a erradicação da pólio em Angola.

 

Na ocasião foram ainda entregues, 25 quites de cadeias de frio acompanhados com botijas de gás e redutores.

O processo de implementação do programa de vacinação para a erradicação do vírus da pólio, financiado com 600 mil dólares pela Esso, através da Cruz Vermelha visa contribuir para a eliminação definitiva da transmissão dessa doença nas diversas províncias e promover a manutenção sustentável das actividades.

Segundo Stephane de Mahieu, em representação da Esso, Sonangol e seus associados do bloco 15, os equipamentos possibilitarão a administração atempada e eficaz de vacinas nas províncias da Lunda Norte e Sul, Moxico e Huambo.

Stephane de Mahieu disse que as equipas móveis proporcionarão vacinas àquelas comunidades onde não existem serviços de saúde, adiantando que o projecto melhorará o transporte e a conservação das vacinas em equipamentos de cadeias de frio.

A doação apoia igualmente a formação e supervisão do pessoal de saúde nestas comunidades, incluindo o curso em técnicas de condução segura.

“Estamos satisfeitos em apoiar este projecto, pois o mesmo ajudará a superar o problema da saúde pública, que é uma prioridade do governo de Angola”, avançou.

Para o director-geral da Cruz Vermelha de Angola, Valter Quifica, a contribuição do grupo de empreiteiros do bloco 15 para a saúde e bem-estar das crianças, terá um grande impacto nas províncias beneficiadas, como também na cobertura nacional de vacinação e na redução do risco da poliomielite e de outras doenças previniveis do país.

De acordo o responsável, a pólio é responsável por um significativo número de paralisias, mortes, doenças e outros males de saúde pública na maioria das crianças menores de cinco anos de idade.

Referiu ainda, ter uma grande influência na percentagem de absentismo nas escolas, pelas débeis condições de saúde dos petizes, factores que contribuem no aumento dos índices de desestabilização de famílias, comprometendo gravemente o futuro dos mesmos e do país.

Já o ministro da Saúde, José Van-Dúnem, fez saber que apesar dos esforços que mundialmente têm sido feitos, assiste-se a um número crescente de casos de pólio em países vizinhos, como a Republica Democrática do Congo e a Nigéria.

 “Teremos que continuar a garantir que os níveis de cobertura vacinal sejam aqueles que permitam que o país não volte a ser reinfectado.

José Van-Dúnem salientou que com a oferta vai se aumentar a eficácia da vigilância epidemiológica e permitir que os profissionais possam chegar às zonas de difícil acesso.

Felicitou os doadores, referindo que se deve continuar a motivar os profissionais de saúde e encarregados de educação sobre a importância e responsabilidade que têm no combate e erradicação da pólio.