News & Announcements

20/11/2013: Ministra pede apoio internacional para programas de adaptação no sudoeste de Angola

Ministra pede apoio internacional para programas de adaptação no sudoeste de Angola

Luanda - A ministra do Ambiente, Maria de Fátima Jardim, apelou hoje, quarta-feira em Varsóvia, Polónia, à comunidade internacional à solidariedade e ao apoio financeiro para com os programas de adaptação e mitigação dos efeitos das alterações climáticas observadas na parte sudoeste de Angola.

Perante os membros da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, presentes na COP19 e IX encontro das Partes do Protocolo de Kioto (CMP-9), Fátima Jardim disse que no sul de Angola se constata a seca prolongada há mais de três anos, sobretudo no Cunene, um facto que está a causar perdas económicas e sociais consideráveis.


Avançou que tal problema está a afectar directamente 500 mil pessoas, que continuam a aclamar por ajudas.

Ainda no quadro dos efeitos das alterações climáticas, a ministra disse que, a  degradação de terras se acelerou para sete por cento do território nos últimos quatro anos, uma situação que obrigou o Executivo angolano a adoptar orçamentos “extraordinários” e imprevisíveis para acudir as populações que vivem da agricultura e pequenos negócios.


A desflorestação, agricultura, sobretudo a itinerante, erosão hídrica, contaminação dos solos, a prática da monocultura, são, dentre outras, as acções que estão na base da degradação dos solos em Angola, tudo devido às alterações climáticas - segundo a ministra.

Para si, esforços conjugados devem ser tidos em conta para “podermos todos juntos construir um mundo mais próspero e mais responsável para com a vida no presente e no futuro”.

Quadros seniores de Angola participam em outros encontros paralelos à conferência, onde contribuem nas discussões ligadas ao aquecimento global,   emissão de gases de efeito de estufa, assim como os fundos para  compensação dos países menos poluidores.

A conferência de Varsóvia reúne mais de 190 países, até 22 de Novembro, que pretendem conter o aumento da temperatura no planeta que poderá chegar a mais 5º C se a comunidade internacional não adoptar medidas para impedir as mudanças climáticas.

Os participantes preparam, a partir deste conferência, um acordo global sobre a redução das emissões de gases que provocam o efeito estufa.

Estes têm dois anos para finalizar o texto para ser aprovado em 2015, na conferência de Paris (França).

Os deputados do MPLA Eduardo Gomes Nelumba e Idalina Valente também integram a comitiva de Angola, além do vice-governador de Luanda, Adriano de Carvalho.